GFT com receita de 422,56 milhões de euros em 2016

GestãoResultados
0 0 Sem Comentários

O Grupo GFT anuncia os resultados preliminares e não auditados para o ano fiscal de 2016 com receitas de 422,56 milhões de euros, um crescimento de 13% face a 2015. O EBITDA foi de 46,77 milhões de euros.

A empresa de Tecnologia da Informação especializada em digital para o setor financeiro superou as suas expectativas para o exercício de 2016 que eram de receitas na ordem dos 420 milhões de euros.

O segmento Europa Continental apresentou um aumento de receita de 23%, totalizando 200,52 milhões de euros, quando em  2015 tinha sido na ordem dos 162,68 milhões de euros. Este crescimento foi impulsionado sobretudo pela procura de soluções e projetos relacionados com a transformação digital de bancos ligados ao retalho. O crescimento das receitas foi particularmente positivo na Espanha, um dos países com mais iniciativas de transformação digital no setor financeiro europeu. As receitas no país vizinho aumentaram 61%, passando de 48,45 milhões, em 2015, para 78,05 milhões em 2016.

O segmento Américas & UK (cujos clientes são principalmente bancos de investimento) alcançou um crescimento de 4%, passando de 210,78 milhões, durante o exercício de 2015, a 219,42 milhões de euros. O desempenho moderado nesta divisão espelha a desaceleração geral que setor de investment banking, assim como as incertezas em relação ao Brexit.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) aumentou 5%, ficando em 46,77 milhões de euros. Durante o exercício de 2015, o valor foi de 31,30 milhões de euros. O EBITA de 2016 já abarca as mudanças cambiais negativas de -1,97 milhões de euros, devido principalmente à desvalorização da libra esterlina. 

Para  2017, a GFT antecipa um ano positivo, com receitas de 450 milhões de euros e um EBITDA de 48,50 milhões .

“É esperado que estímulos como a crescente pressão sobre os custos, bem como a crescente concorrência no setor bancário produzam um crescimento dinâmico. As instituições financeiras precisam implementar projetos para aumentar a sua eficiência e impulsionar a transformação digital dos seus processos de negócios”, afirmou, em comunicado, Ulrich Dietz, CEO da GFT. 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor