Gestão científica representa mais de 50 milhões de euros para a Winning

EmpresasNegócios
0 0 Sem Comentários

Os projetos de inovação, data science, reestruturação organizativa, otimização de custos e aumento de eficiência operacional lideram o âmbito de atuação da consultora.

A Winning  efetuou um balanço no final do seu quinto ano de atividade: 300 projetos de consultoria concretizados que representam um portfólio superior a 50 milhões de euros.

A empresa consolidou a sua posição no mercado com o fornecimento de serviços que possibilitaram a reinvenção de modelos de negócio e a resolução de problemas a mais de 50 clientes ativos, dos quais mais de 50% são empresas presentes no PSI20.

Os 120 consultores lideram projetos em diversas áreas, das quais se destacam planeamento estratégico e inovação, data science, reestruturação organizativa, análise de negócios, entre outras.

“Vivemos numa era profundamente incerta e multifacetada, em que os ritmos de mudança são acelerados. Através dos nossos centros de competência, apoiamos os clientes a responderem aos desafios mais complexos da atualidade: como reinventar; como inovar; como agir; como reagir. Apoiamos na atuação e no ’como’, mas acima de tudo, ajudamos a perceber o ‘porquê’. Está comprovado que o maior erro das organizações são os pressupostos convertidos em atos de fé, sem qualquer base sustentada de verificação, experimentação ou cientificidade. Por este motivo, o nosso capital de diferenciação concentra-se na nossa forma de atuação e entrega, baseada no princípio de Gestão Científica que permite desenvolver uma curiosidade agressiva e uma profundidade analítica para criar um processo robusto munido da poderosa ferramenta ‘porquê?’, recolhendo dados, evidências, relações e diagnosticando, recomendando e intervindo assertivamente perante os problemas.” afirma, em comunicado, Leandro Pereira, CEO da Winning. 

Para o executivo saber combinar capacidades estratégicas e analíticas é crucial para resolver os problemas práticos do dia-a-dia dos negócios, “há que saber diagnosticar os problemas, isola-los de forma objetiva, avaliar os respetivos sintomas na tentativa do entendimento profundo das causas que os originam, e face a estas, traçar os planos de intervenção necessários e efetivos”, conclui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor