Gastos mundiais em TI vão crescer 2,1% em 2014

Negócios

Os gastos mundiais em TI deverão atingir os 3,7 biliões de dólares este ano, o que representa um crescimento de 2,1% em relação a 2013, segundo dados da Gartner. Contudo, este valor fica abaixo dos 3,2% inicialmente previstos, sendo que as principais razões para tal são atribuídas à redução das expectativas de crescimento dos dispositivos

Os gastos mundiais em TI deverão atingir os 3,7 biliões de dólares este ano, o que representa um crescimento de 2,1% em relação a 2013, segundo dados da Gartner. Contudo, este valor fica abaixo dos 3,2% inicialmente previstos, sendo que as principais razões para tal são atribuídas à redução das expectativas de crescimento dos dispositivos e dos sistemas de data center.

shutterstock_121346014

De acordo com os responsáveis da Gartner, a pressão do preço devido ao aumento da concorrência, a falta de diferenciação dos produtos e a crescente disponibilidade de soluções alternativas viáveis tiveram influência na revisão em baixa das perspetivas de gastos em TI. Todavia, a consultora estima que entre 2015 e 2018 o crescimento dos gastos regresse a valores ‘normais’, já que os preços e os estilos de compras deverão atingir um novo ponto de equilíbrio. É que as TI estão a entrar na sua terceira fase de desenvolvimento, deslocando-se de um foco na tecnologia e nos processos para se passar a concentrar nos novos modelos de negócios fomentados pela digitalização.

O mercado de dispositivos – que inclui PCs, ultraportáteis, telemóveis, tablets e impressoras – deverá crescer em 2014, atingindo os 685 mil milhões de dólares, o que equivale a uma subida de 1,2% em relação ao ano anterior. Tal deve-se, em grande parte, à diminuição de preços que deverão chegar aos mercados de telemóveis e tablets.

Já os gastos em sistemas de data center deverão atingir os 140 mil milhões de dólares este ano, ou seja, 0,4% mais do que em 2013. Refira-se que o mercado de servidores está a sofrer por muitas empresas estarem a migrar de plataformas de elevado custo para alternativas de valor mais baixo. Porém, o segmento de hyperscale, fomentado principalmente por serviços orientados para o consumidor, fornece indicadores positivos, embora eles sejam referentes, acima de tudo, a plataformas low-cost.

No que diz respeito a serviços de TI, a área chegará aos 967 mil milhões de dólares, um aumento de 3,8% em relação ao ano passado, sendo que 2013 foi um ano fraco para este mercado em múltiplas geografias e segmentos. O outsourcing está a crescer mais devagar do que o expectável, já que a política de reduções de preços que os maiores players estão a seguir está a ter impacto no mercado de serviços de armazenamento cloud. Além disso, os serviços de cloud pública estão a canibalizar cada vez mais os tradicionais serviços de outsourcing de data center.

Por fim, o mercado empresarial de software chegará aos 321 mil milhões de dólares, um aumento de 6,9% em relação a 2013. Por um lado, há previsão de crescimento para o software de infraestruturas (com destaque para os sistemas de gestão de bases de dados, fomentados pelo Big Data), mas, por outro, deverá haver uma diminuição no software referente a aplicações (como suites de criação de conteúdo, que estão a sofrer o impacto das fracas vendas de PCs e da mudança das ofertas para a cloud).


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor