Vendas dos Galaxy S7 põem Samsung na rota dos lucros

MobilidadeSmartphones

Os lucros da Samsung cresceram 12% no primeiro trimestre de 2016, impulsionados por uma subida de 5,7% nas vendas. A fabricante beneficiou da forte procura pelos novos smartphones da série Galaxy S7, que foram lançados no final de fevereiro.

Aqui reside, na verdade, a chave para esta performance da Samsung no primeiro trimestre. É que a comparação com o mesmo período do ano passado não é totalmente possível, visto que em 2015 a fabricante lançou os novos Galaxy mais tarde – não contribuindo para as contas dos primeiros três meses do ano. Desta vez, os Galaxy S7 também foram melhores recebidos que os antecessores, o que levou os lucros aos 5 mil milhões de euros e vendas de 39 mil milhões.

“O primeiro trimestre viu um crescimento global das receitas liderado pelo lançamento antecipado e bem sucedido do Galaxy S7 e S7 Edge, melhoria do mix de produtos de memórias, expansão da oferta de produtos 14nm no grupo System LSI e aumento das vendas de painéis OLED”, disse a Samsung, em comunicado.

A divisão de comunicações (IM) registou um salto de 42% nos lucros, para 3 mil milhões de euros, apesar de a procura até ter contraído. “Este crescimento deveu-se em grande parte ao lançamento antecipado e excelente desempenho do  Galaxy S7 e S7 Edge, como evidenciado pelos números de vendas e baixos níveis de inventário quando comparados com os antecessores”, explicou a empresa.

Nos próximos trimestres, a Samsung espera continuar a crescer, deixando para trás os maus indicadores dos últimos dois anos. “Na divisão IM, a empresa espera que as vendas dos produtos mais importantes aumentem em relação ao ano anterior, em especial com a forte procura pelos Galaxy S7 e os novos lançamentos na segunda metade do ano. Além disso, a empresa pretende continuar a gerir a eficiência de custos ajustando o lineup de smartphones.”

O negócio dos semicondutores sofreu com o abrandamento sazonal da procura por memórias, mas a divisão expandiu as vendas de produtos de valor acrescentado. Já a unidade de eletrónica de consumo cresceu devido à procura por televisões premium, como a SUHD TV e os modelos curvos, e à subida das vendas de eletrodomésticos premium na América do Norte.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor