Fusão entre Sprint e T-Mobile recebida com ceticismo

MobilidadeNegócios

O diretor executivo da SoftBank, Masayoshi Son, revela continuar interessado em concretizar a fusão entre a sua operadora móvel Sprint e a T-Mobile, apesar do ceticismo expressado pelas entidades reguladoras devido a uma possível consolidação da indústria. O CEO Son, da SoftBank, mantém-se determinado em levar adiante a junção das operadoras móveis T-Mobile e Sprint,

O diretor executivo da SoftBank, Masayoshi Son, revela continuar interessado em concretizar a fusão entre a sua operadora móvel Sprint e a T-Mobile, apesar do ceticismo expressado pelas entidades reguladoras devido a uma possível consolidação da indústria.

softbank

O CEO Son, da SoftBank, mantém-se determinado em levar adiante a junção das operadoras móveis T-Mobile e Sprint, adquirida pela empresa japonesa em 2013. Contudo, este negócio está sob críticas por parte das autoridades reguladoras, que receiam que a redução do número de operadoras móveis de quatro para três possa prejudicar a competição.

No entanto, Son acredita que a indústria beneficiaria do surgimento de um terceiro competidor, mais forte, mediante a fusão da Sprint e da T-Mobile, e alega que, a acontecer, esta combinação das duas pequenas empresas tornará mais sólida a concorrência.

Numa reunião com Tom Wheeler, presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC), no início do mês passado, e, mais tarde, com oficiais antitrust no Departamento da Justiça, a proposta de Son e do diretor executivo da Sprint, Dan Hesse, sobre uma eventual fusão com a T-Mobile foi recebida com bastante descrença, de ambas as vezes.

Son, apesar de tudo, não desiste da ideia e vai apelar diretamente à comunidade empresarial. O CEO critica veementemente o duopólio do mercado de telecomunicações pela Verizon e pela AT&T, que controlam mais de dois terços dos utilizadores da indústria norte-americana de comunicações móveis, e acusa-as de serem responsáveis pela estagnação da inovação na área das telecomunicações e pelos elevados custos de data communications.

A SoftBank disse que a Sprint precisa de uma maior escala para que possa, verdadeiramente, competir com as Duas Grandes, que adquirem quase a totalidade dos lucros advindos do setor.

Son pretende comunicar os seus planos para a indústria norte-americana de telecomunicações hoje em Washington, embora fontes anónimas avancem que o CEO da SoftBank possa não se pronunciar relativamente à licitação para a T-Mobile.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor