Fujitsu desenvolve tecnologia para revolucionar transferência de dados

EmpresasNegócios

A Fujitsu, com a ajuda da Intel, desenvolveu uma tecnologia capaz de revolucionar a forma como os dados são transferidos entre os servidores. A empresa canaliza luz para acelerar esta transferência. No Fórum Fujitsu de 2013, realizado em Munique, a empresa japonesa demonstrou servidores com fibra ótica fina que usam luz e lasers para transferir

A Fujitsu, com a ajuda da Intel, desenvolveu uma tecnologia capaz de revolucionar a forma como os dados são transferidos entre os servidores. A empresa canaliza luz para acelerar esta transferência.

DataTransferHeaderNo Fórum Fujitsu de 2013, realizado em Munique, a empresa japonesa demonstrou servidores com fibra ótica fina que usam luz e lasers para transferir dados a uma maior velocidade em distâncias mais longas.

A tecnologia mais antiga e mais lenta de cobre foi substituída nas máquinas e os centros de dados poderão agora ter um futuro sem fios.

Na fábrica de Augsberg, na Alemanha, a Fujitsu revelou dois servidores Primenergy RX200 ligados a caixas de expansão, através de um cabo ótico com dez metros. A luz foi usada para transferir dados entre os sistemas.

O hardware de transferência de dados óticos é baseado em tecnologia fotónica de silício, da Intel, que usa a luz para passar grandes quantidades de dados em alta velocidade e com pouca energia.

As caixas de expansão Primergy têm drives de estado sólido e co-processadores Intel Xeon Phi.

A conexão ótica é baseada na versão ótica da especificação PCI – Express, o protocolo OPCI – Express da Intel. A luz e os lasers ajudam a mover alguns componentes para uma maior distância das CPU.

Os servidores vão ser assim mais pequenos e possuir uma maior capacidade de armazenamento e os co-processadores podem ser agregados em caixas dedicadas. Os custos de energia e refrigeração também poderão ser reduzidos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor