Foxconn prepara-se para invadir mercado 4G de Taiwan

4GMobilidadeNegócios

A Foxconn, a maior fornecedora de componentes eletrónicos a contrato, vai adquirir uma participação na operadora de telecomunicações Asia Pacific da República da China por uma quantia de 388 milhões de dólares, numa altura em que a tecnológica chinesa intenta expandir a sua presença na jovem indústria de comunicações móveis de quarta geração do país.

A Foxconn, a maior fornecedora de componentes eletrónicos a contrato, vai adquirir uma participação na operadora de telecomunicações Asia Pacific da República da China por uma quantia de 388 milhões de dólares, numa altura em que a tecnológica chinesa intenta expandir a sua presença na jovem indústria de comunicações móveis de quarta geração do país.

foxconn

Registada no mercado de ações de Taiwan sob o nome Hon Hai Precision Industry, a Foxconn vai despender cerca de 0,664 dólares por cada uma das 582,9 milhões de ações que intenta comprar à Asia Pacific.

Contudo, espera-se que até finais do próximo mês de junho, a Foxconn passe a controlar totalmente a operadora asiática, uma vez que sejam acordados os termos do negócio entre ambas as empresas.

Esta compra surge numa altura em que a Foxconn está a desbravar novos territórios e a imiscuir-se em esferas como a do software e a da computação cloud, para além de estar já pronta para declarar como seu o universo das comunicações 4G de Taiwan.

A eletrónica chinesa havia já adquirido uma licença que a permite operar uma porção do espectro de frequências de quarta geração da República da China, e é esperado que comece a difundir estes seus novos serviços no final do presente ano.

“O negócio deverá, sem dúvida, beneficiar a Hon Hai [Foxconn] enquanto caminha em direção ao 4G, embora isso possa demorar tanto como sete anos até que efetivamente consiga registar algum lucro neste mercado”, avançou Arthur Liao, analista na Fubon Securities.

As ações da Asia Pacific aumentaram 4,2 por cento no início do dia de hoje, depois da operadora de telecomunicações ter divulgado que havia acordado em vender parte da empresa à Foxconn.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor