Forbes.com atacado pelo SEA

Segurança

O Exército Eletrónico Sírio (SEA), organização de hacktivistas, atingiu mais uma grande instituição norte-americana, levando a cabo um ataque que furtou informação pessoal de mais de um milhão de utilizadores do site Forbes.com, antes de os revelarem na Internet. O site de negócios norte-americano confirmou nas suas páginas do Facebook e do Twitter que havia

O Exército Eletrónico Sírio (SEA), organização de hacktivistas, atingiu mais uma grande instituição norte-americana, levando a cabo um ataque que furtou informação pessoal de mais de um milhão de utilizadores do site Forbes.com, antes de os revelarem na Internet.

Syrian electronic army

O site de negócios norte-americano confirmou nas suas páginas do Facebook e do Twitter que havia sido alvo de um “ataque digital” e que o seu website tinha sido comprometido, mas não confirmou a dimensão do ataque nem se as informações roubadas foram, de facto, publicadas online.

O SEA publicou várias mensagens na sua conta de Twitter reivindicando responsabilidade pelo ataque, e apresentando uma imagem do sistema de publicação online da Forbes. O grupo diz que o ataque apenas foi possível porque tiveram acesso à conta de um funcionário da Forbes, de forma semelhante à utilizada para aceder ilegalmente ao blogue Office da Microsoft.

A Forbes diz já ter notificado as autoridades adequadas, e aconselha os utilizadores a alterarem as suas palavras-passe. Embora os códigos de acesso estivessem encriptados e não armazenados em texto simples, as informações continuam a poder ser acedidas por terceiros através de avançadas ferramentas de desencriptação, o que significa que os utilizadores têm de se manter atentos.

Num e-mail, o SEA declarou que atacaram a Forbes porque “o ódio pela Síria é muito claro e flagrante nos seus artigos”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor