FBI acede a computadores de pessoas sob investigação

Segurança

O ex-funcionário do FBI, Marcus Thomas, afirmou que a Agência Federal de Investigação já acedeu a computadores pessoais de pessoas que estão a ser investigadas e utilizou webcams para obter informações. O FBI desenvolveu técnicas avançadas de vigilância que lhe permite ativar secretamente webcams de PCs para espiar pessoas que estão a ser investigadas pela

O ex-funcionário do FBI, Marcus Thomas, afirmou que a Agência Federal de Investigação já acedeu a computadores pessoais de pessoas que estão a ser investigadas e utilizou webcams para obter informações.

4505842946_6ff8cc2a8b_oO FBI desenvolveu técnicas avançadas de vigilância que lhe permite ativar secretamente webcams de PCs para espiar pessoas que estão a ser investigadas pela agência. A tecnologia G-men permite ligar remotamente câmaras que transmitem imagens em tempo real para os investigadores, sem acionar a luz que mostra que a câmara está ligada.

De acordo com Marcus Thomas, qualquer pessoa que esteja a ser investigada, poderá ver a sua privacidade invadida através do seu próprio computador. Este método utilizado pelo FBI é igual ao que os hackers utilizam para obterem informações de computadores pessoais.

A agência de investigação norte-americana consegue invadir o computador de um suspeito e fazer o download de arquivos, fotos e e-mails armazenados, mas afirma que tem utilizado esta ferramenta principalmente contra o terrorismo e nas investigações consideradas mais graves.

O ex-funcionário adianta ainda que ao se ligar uma Webcam dos portáteis, é possível que a luz avisadora de que a câmara esteja em funcionamento não ligue.

Em Portugal ainda não há conhecimento de casos semelhantes mas, com o aumento do crime informático, quer da parte dos predadores sexuais como das fraudes online, não deverá demorar muito até haver uma jurisdição na área.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor