Falha de segurança na Target afeta 70 milhões de clientes

Segurança

A cadeia de lojas de retalho americana Target anunciou que 70 milhões de clientes foram afetados por um golpe informático na altura das férias, uma falha de segurança pior do que se esperava. As ações da empresa, que já tinham sido afetadas pela baixa expetativa dos lucros no quarto trimestre, desceram na transação de sexta-feira.

A cadeia de lojas de retalho americana Target anunciou que 70 milhões de clientes foram afetados por um golpe informático na altura das férias, uma falha de segurança pior do que se esperava.

TargetAs ações da empresa, que já tinham sido afetadas pela baixa expetativa dos lucros no quarto trimestre, desceram na transação de sexta-feira.

A Target, a terceira maior retalhista dos Estados Unidos, afirmou em dezembro que hackers tinham roubado dados de 40 milhões de cartões de crédito e débito entre 27 de novembro e 15 de dezembro, a segunda maior falha reportada por um retalhista norte-americano. As notícias aumentaram as preocupações por se acreditar que a Target ainda não ter enfrentado todos os problemas com a extensão da falha de segurança.

“Acho que eles ainda não fazem ideia de quão grande é”, afirmou David Kennedy, antigo analista de ciber inteligência da U.S. Marine Corps que, agora, tem a sua própria empresa de consultadoria. “Isto vai acabar bem maior que os 70 milhões e vai acabar como a maior falha de segurança de dados da história retalhista”.

A maior falha até agora por um retalhista dos Estados Unidos foi descoberta em 2007 na TJX Cos, que levou ao roubo de dados de mais de 90 milhões cartões de crédito durante 18 meses.

A Target anunciou que com as investigações mostraram certas informações de clientes tinham sido roubadas, ao contrário do originalmente dito. A investigação mostrou que entre as informações roubadas constava nomes, moradas, números de telefone e endereços de e-mails dos clientes para além dos cartões usados nos 19 dias da falha.

“Sei que é frustrante para os nossos visitantes saberem que esta informação foi roubada e lamentamos profundamente que tenham de enfrentar isto”, declarou o chief executive Gregg Steinhafel num comunicado.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor