Facebook leva serviços online grátis à Índia

Mobilidade

Mark Zuckerberg expandiu os países em que o projeto Internet.org está presente, chegando à Índia. O objetivo é levar serviços online considerados básicos a populações com menos recursos financeiros. Internet.org é o nome do projeto fruto de uma parceria entre o Facebook e outras empresas tecnológicas como a Samsung e a Qualcomm e que pretende

Mark Zuckerberg expandiu os países em que o projeto Internet.org está presente, chegando à Índia. O objetivo é levar serviços online considerados básicos a populações com menos recursos financeiros.

maxresdefault (1)

Internet.org é o nome do projeto fruto de uma parceria entre o Facebook e outras empresas tecnológicas como a Samsung e a Qualcomm e que pretende disponibilizar o acesso livre à internet aos cinco mil milhões de pessoas que ainda não têm esse privilégio. A população indiana está um passo mais próxima dessa realidade com o anúncio do Facebook de que a aplicação vai chegar à Índia.

A expansão parte de uma colaboração com a Reliance Communications, empresa indiana, que vai possibilitar a oferta de alguns serviços online básicos e considerados, atualmente, indispensáveis pelas duas empresas. O objetivo do Internet.org é levar a internet aos países em desenvolvimento para que a tecnologia seja democratizada.

No plano constam 30 serviços, incluindo plataformas de saúde, educação, emprego ou desporto, mas também o próprio Facebook e o seu serviço de chat. Por agora, a aplicação está disponível em seis estados indianos e em seis línguas locais para além do inglês, mas o objetivo é alargar gradualmente o alcance.

Tendo em conta o facto da Índia ser o segundo maior mercado de dispositivos móveis, a escolha deste país como o primeiro no continente asiático, torna-se evidente. A aplicação estará disponível em equipamentos que utilizem o sistema operativo Android, podendo funcionar como ponto de partida para o despertar da curiosidade da população relativamente ao universo da internet e às múltiplas possibilidades que oferece. Caso isso aconteça, e a população tenha possibilidade, poderá registar-se um aumento do consumo no mercado móvel, cenário favorável às empresas envolvidas.

Numa publicação no seu site, o Facebook explica que “este é um grande passo em frente no esforço de conectar todas as pessoas à internet” e que este projeto pretende também “ajudar as pessoas a partilharem as suas ideias e criatividade com o mundo inteiro”.

O Internet.org já está disponível na Zâmbia, Tanzânia, Quénia, Gana e na Colômbia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor