Facebook desenvolve aplicações para realidade virtual

Appse-MarketingMobilidadeRedes Sociais

O Diretor de Produção do Facebook esteve presente na Conferência Code/Media e revelou os planos da rede social relativamente à realidade virtual. Depois da Oculus VR, chegam as aplicações que deverão possibilitar a participação dos utilizadores. Já não é a primeira vez que o Facebook aposta na realidade virtual como tecnologia dominante no futuro, já

O Diretor de Produção do Facebook esteve presente na Conferência Code/Media e revelou os planos da rede social relativamente à realidade virtual. Depois da Oculus VR, chegam as aplicações que deverão possibilitar a participação dos utilizadores.

face

Já não é a primeira vez que o Facebook aposta na realidade virtual como tecnologia dominante no futuro, já que no último ano adquiru a Oculus VR, empresa responsável pelo desenvolvimento do Oculus Rift, um equipamento que permitia a imersão do utilizador na realidade virtual.

Apesar da aquisição da Oculus VR ter causado algum entusiasmo no meio, a verdade é que o dispositivo ainda não está disponível para a população. Ainda assim, o Facebook deciciu iniciar o desenvolvimento de aplicações para este tipo de realidade, decisão que comprova o foco da empresa no mundo virtual.

Com esta notícia, a empresa de Mark Zuckerberg afasta-se do desenvolvimento da realidade virtual exclusivamente no contexto dos jogos de vídeos e estende o projeto às aplicações móveis. Chris Cox, Diretor de Produção do Facebook, anunciou na Conferência Code/Media, na Califórnia, que a empresa está a desenvolver versões das suas aplicações para que possam ser utilizadas na realidade virtual.

Chris Cox continuou explicando que, por agora, apenas é possível “enviar bits de experiência – uma foto, um vídeo, um pensamento” mas que com a concretização da realidade virtual seria possível “enviar uma imagem mais completa”.

O objetivo passa por tornar esta realidade comum entre os utilizadores mas também por lhes possibilitar a criação dos seus próprios conteúdos virtuais que poderão ser integrados com os meios que já conhecem como é o caso de fotografias ou atualizações de estados nos perfis da rede social.

No entanto, este projeto do Facebook poderá estar ainda longe de ser concretizado e de se tornar massificado como pretendem. Cox admitiu que ainda estamos longe de todas as pessoas possuírem e utilizarem este tipo de equipamentos e não explicou como estas aplicações poderão ser, de facto, utilizadas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor