Eurostat realiza estudo sobre uso da Internet em 2013

e-Marketing

De acordo com um inquérito realizado pelo Eurostat sobre o uso da Internet em 2013, cerca de 33 por cento dos portugueses nunca a utilizou. Portugal está na quinta posição europeia, atrás da Roménia, Bulgária, Grécia e Itália. Segundo este estudo, em Portugal existem 62 por cento dos lares que têm Internet em banda larga,

De acordo com um inquérito realizado pelo Eurostat sobre o uso da Internet em 2013, cerca de 33 por cento dos portugueses nunca a utilizou. Portugal está na quinta posição europeia, atrás da Roménia, Bulgária, Grécia e Itália.

internet_access_globe_keyboard_illoSegundo este estudo, em Portugal existem 62 por cento dos lares que têm Internet em banda larga, para uma média de 28 países europeus com 79 por cento de lares com Internet e 76 por cento com banda larga.

Apesar destes números, o inquérito revelou que apenas 48 por cento dos portugueses acede todos os dias à Internet, percentagem bastante baixa relativamente aos 62 por cento da média europeia. Cerca de dez por cento acedem à Internet uma vez por semana, a mesma média dos europeus em geral, e um terço nunca a utilizou, perante uma média europeia de 21 por cento.

Desde 2007, quando a média europeia de quem nunca tinha acedido à Internet era de 37 por cento, que este número não registou um grande decréscimo, como seria de esperar, estando agora ainda nos 33 por cento.

Dinamarca, Holanda, Luxemburgo e Suécia são os países onde os cidadãos mais utilizam a Internet diariamente, com uma percentagem de cerca de 80 por cento. Em contrapartida, 42 por cento dos cidadãos da Roménia nunca usaram a net, seguindo-se depois a Bulgária, com 41 por cento, a Grécia com 36, a Itália com 34, Portugal com 33 e Chipre e Polónia 32 por cento.

Relativamente à banda larga, a Finlândia é o país com mais ligações domésticas, com cerca de 88 por cento. Na Holanda existem 95 por cento dos lares com ligação à Internet, seguindo-se depois o Luxemburgo, Dinamarca e Suécia, todos com 93 por cento. A Bulgária, Grécia e Roménia são os países que estão nos últimos lugares desta tabela.

No que diz respeito ao governo eletrónico, o serviço mais utilizado é o pagamento de impostos, sendo os países nórdicos quem mais os usa. Em média, 41 por cento dos europeus interage com estes serviços públicos e 44 por cento destes fá-lo para as declarações de impostos, 20 por cento para pedidos de documentos pessoais e 16 por cento para benefícios de segurança social.

Este estudo do Eurostat, realizado nos últimos seis meses de 2013, inquiriu indivíduos entre os 16 e os 74 anos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor