Cidadãos europeus desconfiam do armazenamento na cloud

Base de DadosData-Storage
1 35 Sem Comentários

Quais são os níveis de desconfiança dos europeus ao armazenar na cloud informação de trabalho? De acordo com um novo estudo da Blue Coat Systems, realizado pela YouGov, ainda são elevados.

De acordo com o estudo, realizado com colaboradores de empresas na Alemanha, França e Grã-Bretanha, os trabalhadores europeus preferem como guardiões da sua informação na cloud os seus vizinhos da Europa em vez dos países fora da União Europeia. Em foco estiveram serviços como Gmail, Dropbox e Box.

Aos participantes foram colocadas questões sobre os seus países de confiança para armazenar ou guardar de forma segura na cloud informação relacionada com a sua atividade profissional. Com o resultado da votação do “Brexit”, e o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) entrando em vigor no dia 25 de maio de 2018, a pergunta sobre onde se armazenam os dados na cloud é um tema em destaque para as entidades que trabalham ou dão serviço aos mais de 500 milhões de cidadãos que residem na União Europeia.

O estudo indica que 46% dos colaboradores entrevistados confiam em qualquer país da União Europeia para trabalhar com os seus dados, comparando com os 18% que confiam em qualquer país externo à União Europeia. Mais de um terço, 36%, responderam que não confiam em nenhum país em concreto no momento de armazenar ou guardar os seus dados na cloud. Os resultados mais significativos do estudo são os seguintes:

A geração Milénio impulsiona o uso da cloud

Os resultados mostram que 53% dos inquiridos utilizam aplicações na cloud para realizar o seu trabalho. A França lidera o uso com 64% dos entrevistados, muito longe dos 49% do Reino Unido e dos 47% da Alemanha. A utilização da cloud é mais frequente entre os colaboradores da geração milénio, com 63% dos funcionários entre 18 a 24 anos, frente aos 59% com idades entre os 25 e 34 anos, 55% entre 35 e 44 anos, 48% no grupo de idade entre 45 e 54 anos e, finalmente, 47% para os maiores de 55 anos.

Os empregados mais jovens são os que confiam mais

O estudo indica também que os colaboradores mais jovens são os que mais confiança têm nos países da União Europeia. O grupo de colaboradores com idades acima dos 55 anos é o que mostra uma menor confiança (36%). Este grupo de idades (maiores de 55 anos) é também o que mostra uma menor confiança em geral, com 47%, reconhecendo que não confiam em nenhum país em particular na hora de armazenar a informação, frente aos 24% dos incluídos entre os 18 e os 24 anos.

Os britânicos preferem a União Europeia para armazenar a informação

Para alguns participantes, os níveis de confiança são muito baixos relativamente a armazenar os dados na cloud em qualquer país.

  • Os britânicos confiam muito mais em países europeus (40%) do que nos países fora da União (22%).
  • Estes participantes confiam mais noutros países da União Europeia que no seu próprio país, com apenas 38% das respostas a mostrar a sua confiança no Reino Unido para armazenar os seus dados na cloud.
  • Por toda a Europa, a Alemanha destaca-se como o país mais confiável, com 26% de todos os participantes satisfeitos com a possibilidade de que os seus dados se encontrem lá, frente aos 21% da França e os 20% do Reino Unido.
  • No extremo contrário, Espanha é o país em que só confiam 6% dos participantes no inquérito perante a possibilidade de que os seus dados possam ser armazenados lá.

Os alemães desconfiam dos países da União Europeia

  • Além do seu próprio, os participantes britânicos e suecos têm um nível de confiança na Alemanha de 18%.
  • São os alemães os que mais confiam no seu próprio país (43%), e depois as suas preferências vão para a Suécia (14%), a sua confiança em França e no Reino Unido é mínima, com apenas 7% em ambos os casos.
  • Os colaboradores franceses também preferem o seu país em primeiro lugar, com 45%, em segundo destaca-se a Alemanha (16%) e a Suécia (14%).

Desconfiando dos EUA

O estudo mostra também que a maioria não confia nos EUA para armazenar a sua informação, mostrando apoio à decisão que o Tribunal da Justiça da União Europeia tomou declarando inválido o tratado Safe Harbour – agora substituído pelo Privacy Shield.

  • Apenas 9% dos participantes mostraram a sua confiança perante a possibilidade que a sua informação pudesse ser armazenada ou guardada nos EUA
  • Os britânicos são os que mostraram ter uma maior confiança com 13%, frente aos 3% dos alemães.

“O marco regulatório da União Europeia vai mudar radicalmente com a nova legislação GDPR, e este estudo mostra um importante nível de desconfiança fase aos países que se encontram fora da UE”, comenta Robert Arandjelovic, diretor de marketing de produto da Blue Coat Systems para a EMEA.

“Os entrevistados mostraram a sua preferência por manter os seus dados dentro da União Europeia, apoiando assim a nova legislação europeia de proteção de dados. Mais preocupante é o facto de que quase a metade dos inquiridos não confiam em nenhum país para armazenar a sua informação, o que significa que muitos colaboradores simplesmente não prestam atenção em onde tem armazenada a sua informação, o que pode tornar-se um perigo para as empresas.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor