Estudo revela grande aposta em mobility…e alguns receios

CloudMobilidadeServidores

Um estudo realizado pela CIO Strategic Marketing Services e pela Triangle Publishing Services e patrocinado pela Oracle revelou que as empresas não só estão atualmente a apostar fortemente na mobilidade, mas que além disso espera-se que a taxa de desenvolvimento, implementação e investimento no suporte das aplicações e dos dispositivos móveis venha a aumentar exponencialmente

Um estudo realizado pela CIO Strategic Marketing Services e pela Triangle Publishing Services e patrocinado pela Oracle revelou que as empresas não só estão atualmente a apostar fortemente na mobilidade, mas que além disso espera-se que a taxa de desenvolvimento, implementação e investimento no suporte das aplicações e dos dispositivos móveis venha a aumentar exponencialmente no próximo par de anos. Para além disso, o estudo desvendou as preocupações crescentes do diretores de TI com a segurança em torno da mobilidade e com a sua integração com os sistemas de back-end.

mobility

O estudo inclui as respostas de 414 Diretores Executivos de TI que foram inquiridos em todo o mundo, incluindo CIOs, CTOs, vice-presidentes seniores, diretores ou gestores de TI; e profissionais seniores de TI. Identificaram-se também os fatores tecnológicos mais críticos para o sucesso das iniciativas de mobilidade nas empresas, e também as áreas onde a mobilidade pode oferecer grandes vantagens de negócio, tanto agora como no futuro.

Não obstante os resultados do estudo revelarem um elevado nível de compromisso para com a área de mobility, também evidenciam que existe pouco consenso acerca dos métodos do seu desenvolvimento e implementação, quer seja a nível das áreas de atividade ou das regiões/ geografias.

O estudo descobriu que a segurança continua a ser a preocupação primária das empresas na integração alargada de iniciativas mobile, e sobe de tom perante a possibilidade de adoção do BYOD, tornando o desafio ainda mais crítico. Na verdade, 93% dos inquiridos referiu as suas preocupações no que toca à possível perda de dados e outras falhas de segurança inerentes aos dispositivos móveis, com o fenómeno do BYOD a alimentar estes receios. As empresas estão a focar-se cada vez mais na gestão centralizada da segurança, em vez de confiarem nos utilizadores. Os inquiridos afirmaram que nos dois próximos anos as suas empresas irão centrar-se mais na encriptação dos dados (mais 10% do que atualmente), na atualização centralizada e na resolução de problemas (+ 11%), em apagar os dados remotamente (+ 11%) e em bloquear as funcionalidades (+ 18%).

É um facto incontornável que as aplicações móveis estão em constante mudança. De acordo com o estudo, 35% das médias e grandes empresas atualizam o seu portfolio de aplicações uma vez por mês, enquanto cerca de 34% o faz trimestralmente. Mais de 4/5 (82%) dos inquiridos revelou esperar que estas taxas venham a aumentar nos dois próximos anos.

Entre outras conclusões, constatou-se que 84% dos inquiridos acredita que as equipas de vendas e marketing, e os clientes, são aqueles que têm maior poder de influência nas aplicações móveis atualmente, sseguidos pelas equipas de TI (82%).


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor