Estudo mostra aumento do stress quando há atrasos de carregamento online

AppsMobilidadePortáteisSmartphones
0 1 Sem Comentários

Num estudo neurológico pioneiro entre a Ericsson e a Vodafone Germany conclui que existe uma subida acentuada do nível do stress dos utilizadores mais jovens, quando há atrasos de carregamento de vídeos online nos smartphones.

Num projeto de investigação conjunto entre a Ericsson e a Vodafone Germany concluiu que mesmo os mais pequenos atrasos e distúrbios na utilização aumentam o nível de tensão e de stress. Têm ainda um impacto negativo na lealdade dos consumidores e na imagem da marca do operador.

As conclusões advêm de uma experiência vinda da neurociência com o objetivo de compreender o que pensam os subscritores de serviços de banda larga móvel sobre o desempenho da rede.

Foi utilizado equipamento de eletroencefalografia para monitorizar a atividade cerebral em 150 clientes que se voluntariaram para fazerem parte deste projeto em Dusseldorf.

Os resultados mostram que os participantes com faixa etária entre os 18 e os 24 são os que possuem um maior nível de stress, à medida que o tempo do carregamento for maior. Chega mesmo perto dos 50% quando o tempo de espera for entre os 6 e 10 segundos. Para contrapor estes dados, em pessoas com mais de 35 anos, os valores ficam-se pelos 35% no mesmo período de tempo

Guido Weißbrich, Diretor de Network Performance da Vodafone Germany, faz uma interpretação dos dados: “o estudo prova quão rapidamente os utilizadores de smartphones ficam insatisfeitos quando a rede de banda larga não apresenta o melhor desempenho. Um mero atraso de um segundo no download ou upload de conteúdo tem um significativo impacto negativo na experiência do utilizador, pelo que os serviços de streaming devem fazer o seu melhor para eliminarem os exagerados períodos de buffering ou de congelamento de conteúdo”.

As conclusões do projeto levaram a Ericsson apresentar a solução “Ericsson Neurometric Analysis”, complementando o seu portefólio de otimização de experiência com Apps. Esta nova proposta estará disponível aos operadores de todo o mundo.