ESPECIAL 2015 | IBM: O ano da Era Cognitiva

Negócios

João Gonçalves, diretor de Global Technology Services da IBM Portugal não tem qualquer dúvida: 2015 figurará indiscutivelmente como um dos anos mais marcantes da História de mais de um século de vida da IBM. Foi o ano da Era Cognitiva, que o executivo profetiza representar uma viragem no mundo empresarial, em que a Inteligência Digital se assume como fator determinante e potenciador do Negócio Digital.

João Gonçalves, diretor de Global Technology Services da IBM Portugal
João Gonçalves, diretor de Global Technology Services da IBM Portugal

B!T: Como classificam o ano de 2015?

João Gonçalves: 2015 figurará indiscutivelmente como um dos anos mais marcantes da História de mais de um século de vida da IBM. Foi o ano em que a Companhia inaugurou uma nova era tecnológica, a Era Cognitiva, que representa uma viragem no mundo empresarial, em que a Inteligência Digital se assume como fator determinante e potenciador do Negócio Digital.

Foi a partir da convergência do mobile, da cloud, do big data analytics e do social business, a que temos assistido nos últimos tempos, que se criaram as condições para o aparecimento desta nova era, em que os sistemas adquirem a capacidade de compreender e aprender, como é o caso do super sistema IBM Watson, o expoente máximo dos sistemas cognitivos.

Estas capacidades tecnológicas tornam-se tão ou mais importantes no mundo atual no sentido em que só a partir delas será possível extrair conhecimento dos vastos volumes de dados produzidos diariamente, para uma tomada de decisão de negócio assertiva.

O ano ficou também marcado por uma série de investimentos por parte da IBM com vista a consolidar a aposta da Companhia sobretudo nas novas áreas de crescimento, designadamente cloud, analytics, mobile, social e segurança, como é o caso da The Weather Company.

A IBM Portugal está perfeitamente alinhada com esta tendência, tendo mesmo reforçado a sua presença em Portugal nas novas áreas de negócio.

Em termos de negócio, e quando comparado com 2014, houve mudanças significativas?

Em termos de negócio houve uma consolidação da estratégia de negócio nas novas áreas de crescimento, CAMSS (Cloud, Analytics, Mobile, Social, Security), e em torno do IBM Watson. As novas soluções e ofertas da Companhia e a colocação do IBM Watson à disposição de mais indústrias e setores tem por objetivo ajudar os nossos clientes a potenciarem o negócio e superarem a concorrência, mas também a melhorar o nosso dia a dia, designadamente na Saúde, na Educação ou no Retalho.

Reorganizámos ainda as áreas de serviços por forma a estarmos ainda mais orientados para as novas necessidades do mercado, estruturando a oferta em Sistemas, Resiliência, Mobilidade, Networking, Segurança e Cloud, com ofertas mais flexíveis e soluções globais ou pontuais.

Consolidámos também parcerias estratégicas, com a Apple, por exemplo, que já resultou no lançamento para o mercado de mais de 100 aplicações MobileFirst para sistemas iOS nas mais variadas áreas, com o objetivo de transformar a forma como trabalhamos. 

E em termos de mercado, o que salientariam?

O mercado apresentou uma grande dinâmica, onde observámos as organizações a entrarem definitivamente em projetos estratégicos nas novas áreas, como por exemplo em Analítica ou Cloud.

Quais os três grandes “momentos” que destacariam nestes 12 meses?

Como referi anteriormente, um dos grandes momentos foi o lançamento, no passado mês de outubro, de uma nova visão estratégica, a Era Cognitiva, com o IBM Watson no centro desta missão.

Mais recentemente inaugurámos um novo centro em Munique, que será a sede mundial da nova unidade Watson IoT, a vertente de Internet das Coisas do supercomputador da IBM.

Levámos ainda a cabo vários projetos com clientes que nos orgulham pelos resultados alcançados, mas seria sempre difícil destacar um em particular. São esses “momentos” de sucesso comum com os nossos clientes que nos dão energia positiva para o futuro.

Que expectativas têm para 2016? E em que se baseiam para terem essas expectativas?

Acreditamos que 2016 seja um ano de muita inovação e crescimento.

A Era cognitiva trará os primeiros projetos para Portugal, projetos cujo desenvolvimento iniciámos em 2015.

Iremos continuar a inovar na forma como prestamos serviços aos nossos clientes, recorrendo cada vez mais à automação como forma de melhorar a qualidade de serviço e a eficiência, e continuaremos a apostar no Nearshore com recurso ao Centro de Inovação Tecnológica de Tomar.

A confiança que os nossos clientes têm depositado na IBM, os índices de satisfação que nos atribuem e os múltiplos projetos que temos vindo a desenvolver dão-nos confiança para crescer em 2016.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor