Espanhóis marcam pontos no “European CIO of the Year”

Negócios

Os Chief Information Officer da Telefonica, HM Hospitales e Governo da Catalunha foram os vencedores dos prémios do CIO do ano entregues no evento CIO CITY 2016.

Phil Jordan, (Global CIO da Telefonica), Sergio Garcia Cebolla, (CIO, HM Hospitales) e Jordi Escalé, (CIO do Governo da Catalunha) foram os vencedores do European CIO of the Year, entre 21 CIO de seis nacionalidades diferentes. 

De Portugal contavam da lista David Ferreira Alves (CIO, SONAE), João Figueiredo (ICT Director, Casa da Misericórdia do Porto) e Luis Newton (presidente, Junta de Freguesia da Estrela).

Na categoria de “Global Responsibility”, a CIONET Internacional reconheceu Phil Jordan, Global CIO of Telefonica, CIO e Líder Digital Global, no sector das comunicações e alta tecnologia. Phil tem um histórico de liderança notável e talento reconhecido em transformar e explorar o valor do IT em grandes empresas globais. Em 2010 conquistava o título de CIO Regional responsável pela Europa do Norte da Vodafone, após doze anos passados na companhia. Em 2011, Phil mudou-se para a Telefonica O2 no Reino Unido – este passo foi rapidamente seguido por uma mudança para Madrid onde se tornou CIO Global da Telefónica CIO Global com 20 países e 6.000 profissionais de TI à sua responsabilidade. Debaixo da sua liderança, a Telefonica tem tido muitos sucessos, sobretudo ao nível de transformação mais ousada na indústria, incluindo a simplificação radical de negócios, a construção e exploração de centros de dados únicos de classe mundial, de serviços compartilhados globais e na transformação de processos de negócio que permitam à Telefonica ser das melhores empresas de telecomunicações digitais no mundo. Phil integra o top 100 da UKTECH50 e é considerado uma das 50 pessoas mais influentes na área das tecnologias do Reino Unido.
 
Na categoria de “Regional Responsibility”, foi premiado Sergio Garcia Cebolla. O vencedor desta categoria é CIO do HM Hospitales e começou a sua carreira com um estágio para UNI-2 (France Telecom) e mais tarde trabalhou para a empresa como administrador de banco de dados, em 2001. No final desse mesmo ano, mudou para uma empresa de consultoria de Engenharia Civil (PEYCO SA), e esteve envolvido no projeto do comboio de alta velocidade espanhol (AVE). Sergio Garcia Cebolla entrou no grupo HM Hospitales em 2004, começando como vice-diretor de TI. Mais tarde, em 2007, foi promovido a CIO, posição ocupada hoje em dia. Sergio está envolvido em projetos de elevada complexidade, dirigindo três departamentos: Telecomunicações, Segurança e Sistemas e Desenvolvimento de Software.
 
Na categoria de “Public sector”, foi premiado Jordi Escalé, CIO Government of Catalunya. Jordi define-se como líder transformacional – uma liderança inspiradora e carismática, com um amplo conhecimento sobre a estratégia do negócio. Tendo esta orientação empresarial forte, e elevado nível de energia, Jordi cria a atmosfera ideal para o fomento do crescimento das pessoas e organizações. O primeiro website da ESADE e o primeiro banco de dados em Espanha foram feitos por este executivo em 1994. Seguidamente, juntou-se à Telefonica, tomando a posição de gestor de eCommerce e eBusiness, dirigindo novas oportunidades de negócios e de todo o ciclo de desenvolvimento do produto, plataformas de pagamento, shopping centers, sites FCBarcelona e Real Madrid. Enquanto Diretor estratégico de Marketing & Inovação da Telefonica, acelerou as suas capacidades para descobrir o valor de negócios de TIC.
 
Na posição atual, enquanto CIO da Região da Catalunha alcança excelentes resultados em termos de eficiência, transformação dos serviços de TIC e promoção do sector das TIC nesta região.
 
Rui Serapicos, Managing Partner da CIONET Portugal, assinalou em comunicado que o evento European CIO of the Year é sempre um momento em que o talento é reconhecido. “Este ano foram finalistas a nível nacional David Ferreira Alves (CIO, SONAE), João Figueiredo (ICT Director, Casa da Misericórdia do Porto) e Luis Newton (Presidente, Junta de Freguesia da Estrela). Acreditamos que estas iniciativas são cada vez mais importantes, não apenas pelos benefícios que aportam aos finalistas e vencedores, mas fundamentalmente pelos efeitos positivos que aportam para a indústria Tis, quer nacional como internacional”.
 

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor