Ericsson lança Plug-ins 5G para preparar as redes atuais para o futuro

InovaçãoRedes

A Ericsson está a trabalhar com mais de 20 operadores móveis em redes 5G e desenvolveu Plug-Ins 5G para facilitar a evolução das atuais redes e de forma a garantir uma adoção bem-sucedida dos novos serviços.

O desenvolvimento do 5G tem por base vários casos de estudo e prevê-se que terá um impacto em toda a rede móvel e no ecossistema a ela associado, quer a nível dos consumidores, quer a nível das indústrias. As aplicações que vão beneficiar desta nova tecnologia são inúmeras, desde carros autónomos, a drones com suporte para feedback háptico, aos vídeo HD em dispositivos móveis, ao IoT até ao acesso dos clientes residenciais.

“O 5G vai basear-se em novos casos de uso que necessitam de uma performance superior – desde os carros conectados com históricos imaculados a realidade aumentada para cirurgia remota, passando por filmes multi-K em equipamentos móveis. O 5G vai desbloquear novas aplicações para o consumo e para as diferentes indústrias, e com os nossos planos de testes de campo numa fase avançada, estamos agora a apresentar os Plug-Ins 5G, que permitem os passos evolutivos de que os operadores precisam numa altura em que desenvolvem as redes que vão assegurar o seu futuro no 5G” referiu em nota à imprensa Arun Bansal, Vice-Presidente Sénior e Diretor da Business Unit Rádio da Ericsson.

De acordo com a Ericsson, os Plug-Ins 5G são inovações alicerçadas em software suportadas pelo Ericsson Radio System, e especialmente focadas em funcionalidades que os operadores podem melhorar nas suas redes atuais para facilitar a evolução para o 5G.

Os Plug-Ins 5G da Ericsson são:

Plug-In Massive MIMO: Massive MIMO é a combinação de Single-User MIMO (SU-MIMO) e beamforming suportado por antenas avançadas com um elevado números de portas direcionáveis. O Massive MIMO melhora tanto a experiência do utilizador como a capacidade e a cobertura da rede.

Plug-In Multi-User MIMO: Concebido com base no Massive MIMO, o Multi-User MIMO (MU-MIMO) transmite dados para múltiplos dispositivos pessoais usando os mesmos recursos de tempo e frequência e coordena o beamforming. O MU-MIMO faculta uma melhor experiência de utilizador, melhora a capacidade e a cobertura da rede e reduz as interferências.

Plug-In RAN Virtualization: O RAN Virtualization melhora a eficiência e o desempenho da rede recorrendo a Virtual Network Functions (VNF) que são centralizadas numa plataforma comum que suporta tanto 4G como 5G.

Plug-In Intelligent Connectivity: Em locais onde exista sobreposição de cobertura 4G e 5G, a funcionalidade Intelligent Connectivity permite que a rede faça a ancoragem e o direcionamento inteligente de dados baseando-se nos requisitos da aplicação e na disponibilidade dos recursos de rede, aumentando o processamento combinado de dados dos recursos 4G e 5G.

Plug-In Latency Reduction: Este Plug-In reduz os procedimentos de acesso e modifica a estrutura para permitir um acesso instantâneo à rede e transmissões mais frequentes. Como consequência, verifica-se a redução do time-to-content e são possibilitadas as comunicações em tempo real para aplicações chave 5G, como nos veículos inteligentes.

Peter Jarich, Vice-Presidente de Consumer and Infrastructure Services da Current Analysis, afirmou em comunicado que “os operadores precisam de uma tática de migração que lhes permita aproveitarem os investimentos efetuados na sua rede de forma sincronizada com as suas estratégias de evolução para o 5G. Os Plug-Ins 5G da Ericsson garantem esta flexibilidade, apoiando a implementação de tecnologias avançadas de acesso a curto prazo, e a preparação para o 5G”.

A empresa indicou que os Plug-Ins 5G vão estar disponíveis para testes de operadores em 2016 e serão disponibilizados comercialmente no início de 2017.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor