Ericsson expande o seu portfólio para acelerar 5G

MobilidadeRedes

A empresa apresenta o novo rádio AIR 3246, o primeiro para duplexação por divisão de frequência (FDD) da Ericsson, que faz parte da sua plataforma 5G. O novo produto serve de ponte entre o 4G e a rede do futuro utilizando o espectro atual.

O AIR 3246 para MIMO massivo (Massive Multiple Input Multiple Output), que será um complemento à oferta global do portefólio 5G da Ericsson, suporta as tecnologias 4G / LTE e 5G NR (New Radio). Com este produto, os operadores vão oferecer 5G aos seus clientes usando o espectro de faixas médias de hoje, ao mesmo tempo que aumentam a capacidade das redes LTE.

A nova adição ao portfólio da Ericsson faz parte da Plataforma 5G da empresa, capaz de suportar 5G e MIMO massivo (Massive Multiple Input Multiple Output), que inclui mais três rádios de duplexação por divisão de tempo (Time Division Duplex – TDD).

Além disso, a plataforma conta com elementos de núcleo ou “core” de rede, transporte, OSS, BSS e elementos de suporte digital e de segurança. 

“Esta é uma expansão da plataforma 5G que apresentámos em fevereiro. O novo rádio permitirá que os operadores melhorem a capacidade 4G para os seus clientes hoje e, ao mesmo tempo, estejam prontos para o 5G no futuro, utilizando o mesmo hardware. Também complementamos os produtos com um conjunto de serviços de rede, simplificando a transição rumo ao 5G para os nossos clientes”, afirma, em comunicado, Fredrik Jejdling, Diretor da Área de Negócio de Redes da Ericsson.

O MIMO massivo é uma tecnologia chave para fazer a transição do 4G para o 5G, incluindo capacidade inteligente e melhorando a experiência do utilizador. Já o MIMO massivo em FDD pode aumentar a capacidade da rede até três vezes e oferecer uma taxa de transferência de dados de utilizador até cinco vezes melhor.

O AIR 3246 estará disponível comercialmente no segundo trimestre de 2018 e será parte do sistema Ericsson Radio System. Esta é mais uma aposta da empresa sueca em ajudar as operadoras na sua preparação até ao lançamento comercial do 5G.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor