Epson recebe classificação EcoVadis Gold para sustentabilidade

Negócios

A plataforma independente EcoVadis premiou a companhia japonesa com a sua classificação Gold. Este galardão coloca a Epson no top 5% das empresas mais comprometidas com a sustentabilidade.

A distinção, que reconhece o compromisso da Epson para com os padrões de RSC internacionais mais exigentes, premeou o excelente trabalho da multinacional nas categorias de respeito ambiental e de compras sustentáveis. A classificação vem juntar-se aos restantes padrões de sustentabilidade que a empresa já cumpre, incluindo a Global Reporting Initiative, o United Nations Global Compact e a norma ISO 26000.

A EcoVadis é uma plataforma independente, que utiliza uma metodologia exclusiva de avaliação da RSC, que cobre 150 categorias de compra, 110 países e 21 indicadores. O processo que permitiu chegar a esta distinção consistiu na avaliação da Epson no que respeita a colaboradores, processos e plataformas utilizadas.

“Perante a crescente exigência para que as empresas levem a cabo as melhores práticas de RSC e de sustentabilidade, orgulho-me bastante do trabalho que temos desenvolvido neste âmbito e do reconhecimento que recebemos com este prémio EcoVadis Gold”, afirma Henning Ohlsson, Diretor de CSR da Epson Europe.

“Na Epson acreditamos que as empresas partilham uma responsabilidade importante no que toca à criação de um futuro sustentável, o que implica ter em conta todos os passos da cadeia de logística, desde a fábrica aos escritórios. Esforçamo-nos por integrar esta filosofia nos nossos próprios processos de Responsabilidade Social Corporativa, assim como na tecnologia que produzimos e que permite a outras empresas cumprir os seus objetivos de sustentabilidade, beneficiando as pessoas, o planeta e os processos empresariais”, acrescenta.

A Epson acredita que os pequenos gestos de mudança podem ter um grande impacto no ambiente e na marca social de uma organização. A gama de tecnologia de impressão a jato de tinta profissional da Epson permite aos clientes cumprir as suas metas financeiras, sociais e ambientais. Se as empresas decidirem investir em tecnologias de impressão a jato de tinta, por oposição a impressoras a laser, podem conseguir reduzir até 99% os resíduos produzidos, emitir zero gases de ozono, diminuir em 92% as emissões de CO2 e produzir 96% menos de energia. Isto significa que, se todas as empresas mudassem para impressoras a jato de tinta, poderia ser poupada energia equivalente à necessária para abastecer 507.000 lares em toda a Europa.

A Epson está ainda a trabalhar para que as tecnologias das suas quatro áreas de inovação sejam mais acessíveis. Por um lado, os robots de gama de entrada da Epson e as tecnologias para “pick & grip”, como o Force Sensor, contribuem para o rejuvenescimento da produção na Europa e para a redução dos custos de transporte e do desperdício de produção. Por outro lado, graças às inovações nas tecnologias visuais e ao uso de dispositivos portáteis (como os projetores interativos e os smartglasses Moverio), que permitem comunicar por videoconferência, o impacto ambiental torna-se também mínimo, visto que os colaboradores das organizações deixam de necessitar de viajar tanto, reduzindo-se assim a pegada de carbono.

Este impulso para produzir tecnologias eficientes, compactas e de precisão, levou ao sucesso da mais recente inovação PaperLab, um sistema de circuito fechado que recicla e produz papel no próprio escritório, utilizando apenas água, o que leva à redução das emissões de CO2, à poupança de recursos e à poupança de água, recurso usado em grandes quantidades nos processos tradicionais de reciclagem.

A Epson tem trabalhado desde o início da década de 2000 para integrar o pensamento de ciclo de vida completo na entrega de produtos finais, mediante a introdução de tecnologias inovadoras no local de trabalho, que permitem melhorar a eficiência nas soluções de impressão, comunicações visuais, dispositivos wearable e robótica.