Entrevista da Semana: “Sentimos uma maior disponibilidade da Administração Pública para novos investimentos”

NegóciosProjetosSetor Público

A Create IT tem já disponível no mercado a SmartPortals, uma plataforma web que suporta a criação de múltiplos portais independentes ou agregados, permitindo otimizar recursos e trabalhar em rede de forma mais ágil e eficaz. Nuno Guerra, sócio fundador da Create IT, explicou à B!T que, hoje, a Administração Pública, um dos clientes da SmartPortals, está mais disponível a novos investimentos.

Nuno Guerra, sócio fundador da Create IT
Nuno Guerra, sócio fundador da Create IT

De que forma a nova oferta dos SmartPortals veio influenciar os resultados de 2015?

O ano de 2015 foi um ano de aposta e investimento na oferta SmartPortals, a qual foi lançada no mercado em maio deste ano. Temos já resultados quer em termos de oportunidades, propostas apresentadas e, também, vendas concretizadas. O nosso objectivo é que a oferta SmartPortals represente mais de 10% do volume de negócios da Create em 2015. É contudo prematuro dar ênfase a números já que, como sempre, o mais importante é entregar soluções inovadoras e de excelência aos nossos clientes.

Quanto faturaram em 2014 e quanto preveem faturar este ano?

Mantemos o objectivo de continuar o crescimento sustentado a dois dígitos pelo que este ano queremos atingir os 1,65 milhões de euros, sendo que em 2014 tivemos um volume de negócios de cerca de 1,5 milhões de euros.

A administração pública já está a investir em TI?

Sentimos uma maior disponibilidade dos clientes da Administração Pública para equacionar novos investimentos, sendo a avaliação dos mesmos cada vez mais exigente, o que vemos como um desafio e fator de motivação acrescido. É preciso inovar e ter a capacidade de implementar soluções de excelência com cada vez maior agilidade, uma das razões da nossa aposta na oferta dos SmartPortals.

Em que outros setores da AP, que não a local, estão inseridos?

Apesar do sector da Administração Pública não ser um dos principais setores onde a Create IT opera, temos clientes quer na Administração Pública Central quer na Administração Pública Local e Regional, além de empresas públicas e entidades reguladoras. Num setor com muitas especificidades, esta diversidade permite conhecer melhor os desafios e as necessidades de cada setor.

 É um cliente interessante?

Temos diversos clientes interessantes dos quais posso dar alguns exemplos. A ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos para quem desenvolvemos o Portal Institucional e o Portal do Consumidor bem como os Simuladores de Preços de Energia Elétrica e de Gás Natural, a AICEP Portugal Global, através do desenvolvimento de soluções de suporte ao bem conhecido programa Inov Contacto, a CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central para quem desenvolvemos mais de uma dúzia de Portais entre Portais para Câmaras Municipais (como Évora, Montemor-o-Novo, Vila Viçosa, entre outras), o Portal para a ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo ou o Portal para a própria CIMAC ou ainda a APS – Administração dos Portos de Sines e do Algarve S.A. com o desenvolvimento de uma solução colaborativa para utilização interna.

 Neste momento quais os grandes projetos que têm entre mãos?

Nos últimos meses, lançamos com os nossos clientes importantes projetos com visibilidade pública como a solução para venda de Livros Escolares e Material Escolar para o Continente Online ou a solução de E-Commerce do Grupo Pestana sobre tecnologia Microsoft Azure, projeto nomeado como finalista nos European SharePoint Community Awards 2015 na categoria de Most Innovative Hybrid-Cloud Solution. Quer a distribuição geográfica da solução, que permitiu obter ganhos muito significativos no tempo de acesso a partir de origens internacionais quer a agilidade na disponibilização da plataforma em novas localizações geográficas, suportam de uma forma ágil e eficaz o processo de crescimento e internacionalização do Grupo Pestana no que às soluções de e-commerce diz respeito.

Com igual importância para o negócio do Banco BPI, lançámos uma nova solução de gestão de limites de exposição para o segmento de empresas e negócios, solução que se encontra em fase de rollout neste momento no universo de cerca de 50 centros de empresa do Banco BPI.  Em termos de soluções colaborativas, trabalhámos com diversos clientes como a Ascendum, a Altri, a Sapec ou a Lusitânia Seguros nas áreas de Office 365, SharePoint e Yammer, soluções com adoção crescente por parte dos nossos clientes.

Temos também em curso neste momento um projeto para um cliente na Bélgica, para quem estamos a desenvolver uma solução Cloud suportada em Microsoft Azure, SharePoint, Office 365 e Microsoft CRM Online.

 Como classificam 2015? Foi diferente de 2014 em termos de confiança de mercado?

O ano de 2015 será para a Create um ano de crescimento e, simultaneamente, de mudança. Mudámos de instalações, crescemos a nossa equipa e agilizámos a organização. Estamos empenhados em criar as condições que garantam um crescimento sustentado da nossa atividade, sempre focados na excelência das equipas e dos projetos em que nos envolvemos quer nacional quer internacionalmente.

 Estão presentes apenas em Portugal ou têm alguma solução ou presença internacional?

A presença física é apenas em Portugal sendo que temos já a experiência de entregar projetos em modelo de nearshore para diversos países tais como a Suíça, Inglaterra ou a Bélgica, mercado onde ganhámos um primeiro projeto este ano e que se te verificado uma excelente oportunidade. Estamos apostados em fazer crescer o volume de negócios internacional num modelo de nearshore, focados no mercado do Norte da Europa, existindo a expectativa de que as novidades estão para breve.

 Os últimos dois anos não têm sido fáceis para as empresas portuguesas. Os vossos clientes adiaram alguns dos seus investimento em TI? Isso está a alterar-se?

Talvez pela natureza dos nossos clientes e também dos projetos em que estamos habitualmente envolvidos, mais focados no potenciar do crescimento do negócio e não na exclusiva redução de custos operacionais, temos sentido uma continuada vontade de investir. Vimos há pouco excelentes exemplos de forte investimento em novas soluções, centradas no crescimento do negócio e na criação de valor para os clientes dos nossos clientes.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor