Enterprise Business Assurance debatido em conferência da WeDo

e-RegulaçãoEmpresasGovernançaNegócios

A WeDo Technology realizou uma conferência sobre o impacto do Enterprise Business Assurance na gestão de grandes empresas. Um evento que contou com a presença de Rui Paiva, CEO da empresa portuguesa. O evento começou com uma sessão de abertura dirigida pelo CEO da WeDo Technology, Rui Paiva, que abordou a importância de perceber como

A WeDo Technology realizou uma conferência sobre o impacto do Enterprise Business Assurance na gestão de grandes empresas. Um evento que contou com a presença de Rui Paiva, CEO da empresa portuguesa.

IMG_7917

O evento começou com uma sessão de abertura dirigida pelo CEO da WeDo Technology, Rui Paiva, que abordou a importância de perceber como as empresas de tecnologia vêem o Enterprise Business Assurance na gestão de grandes empresas.

Paiva explicou o motivo de existência deste evento organizado pela WeDo que se prendeu, segundo este, com o “crescente impacto das áreas de controlo corporativo na criação de valor nas empresas”.

Nesse sentido, existem, segundo Paiva, quatro tendências que norteiam o panorama tecnológico na atualidade. São eles o crescente poder negocial dos clientes corporativos, maior mobilidade tanto de pessoas como empresas, digitalização dos negócios de todas as indústrias e ainda a conetividade de não só pessoas como também de aspetos simples do quotidiano em torno das empresas.

Várias consequências são apontadas para estas tendências, como a produção de muita informação e a crescente importância da gestão de dados internos e externos, onde se incluem o Big Data e a cloud.

Seguiu-se um debate, que foi moderado pela diretora do Jornal de Negócios, Helena Garrido e que contou com o debate de ideias por parte de Diogo Silveira, CEO da Açoreana Seguros, Miguel Mota Freitas, CEO da Sonae Specialized Retail e ainda Miguel Stilwell de Andrade, administrador da EDP.

No debate foram abordados os motivos que levam as empresas a repensar a estratégia de gestão de sistemas, que se prendem essencialmente, segundo os intervenientes, com o o controlo dessa mesma estratégia e ainda a visão em tempo real do que está a acontecer por parte das empresas. A visão dos administradores executivos sobre o impacto que o controlo de negócio tem nos resultados e na relação com os stakeholders, clientes e acionistas também é uma realidade das empresas de gestão no panorama atual.

Seguiu-se um segundo debate, desta feita com Alexandre Gorito, Partner e Managing Director da Boston Consulting Group e ainda Raul Mascarenhas, vice presidente da WeDo Technologies que explicaram o modo de implementar uma nova cultura de Enterprise Business Assurance nas empresas em Portugal. Nesse sentido, a utilização da informação deve ser feita de modo a “posicionar os objetivos da empresa com os interesses do consumidor”. Contudo, essa tendência ainda está a “dar os seus primeiros passos”, apesar do sucesso prático que apresenta.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor