Empresas querem mais colaboração entre departamentos

EmpresasNegócios
1 7 Sem Comentários

Segundo o novo estudo da Oracle, 62% dos inquiridos consideram imperativo que as linhas de negócio e os departamentos de TI colaborem entre si de forma efetiva para que o modelo de cloud possa ser bem-sucedido nas empresas.

O estudo da empresa Oracle refere que para as empresas manterem uma posição de destaque no mercado na Era Digital, terão que promover níveis de colaboração mais efetivos e eficazes. Intitulado como IaaS: building a business that innovates, o estudo revela que existem muitas empresas com modos de funcionamento adversos ao desenvolvimento de uma colaboração efetiva entre todos os departamentos.

Neste estudo é avaliada a forma como as empresas da região EMEA abordam a computação na nuvem e como estão a lidar com os respetivos impactos na organização das suas empresas. O foco da pesquisa centra-se no que diz respeito à capacidade de realizarem mudanças de negócio profundas e de inovarem.

A necessidade de melhorar o nível de colaboração nas empresas fica evidenciada com os dados deste estudo:

  • 62% dos inquiridos afirmou que as linhas de negócio e as equipas de TI precisam de colaborar para que o modelo de cloud possa ser bem-sucedido nas suas organizações.
  • 34% referiu que gerir o fenómeno doshadow IT (onde as linhas de negócio fazem aquisições de TI à margem do conhecimento e da orientação dos departamentos de TI da empresa) constitui uma barreira significativa à adoção de uma abordagem integrada à cloud.
  • 41% revelou que a falta de entendimento das áreas de negócio no que diz respeito à necessidade de integrar os recursos de cloud é um dos principais desafios das infraestruturas de TI no que diz respeito à implementação da cloud.

Para além destes dados o estudo revela também que as áreas de maior ineficiência no atual modelo de plataforma que está a ser usado pelas empresas, é a integração dos serviços utilizados (50%), o tempo de implementação (49%) e a fraca integração das aplicações (47%). Todos estes aspetos, segundo a Oracle, constituem bloqueios para uma inovação rápida e efetiva.

A gestão do shadow IT, a discrepância entre as infraestruturas, o aumento dos riscos de segurança, o aumento de custo e o ter que provar o retorno do investimento constituem-se como barreiras complementares à adoção de uma abordagem integrada à cloud.

Pascal Giraud, Senior Director IaaS Foundation & Cloud Platform da Oracle EMEA, afirmou segundo refere comunicado que “estes aspetos podem em parte explicar porque as infraestruturas se tornaram tão rígidas, confusas e complexas. Isto leva as empresas a não terem o nível de capacidade de resposta que deveriam ter perante as oportunidades de inovação que têm diante de si. Ao adotarem a Infrastructure as a Service (IaaS), as empresas podem atenuar as clivagens e criar uma organização verdadeiramente colaborativa, passando a dispor de uma base para a inovação e para a implementação, removendo as limitações em torno dos recursos e mitigando os silos.”

Para realizar este estudo a Oracle inquiriu 1200 decisores da área das TI em empresas de médio e grande porte, baseadas na Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Países do Golfo, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Holanda, Polónia, Espanha, África do Sul, Suécia, Suíça, Turquia e Reino Unido.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor