Empresas perdem 1,7 milhões de euros com ataques dirigidos

EmpresasNegóciosSegurança

De acordo com o estudo sobre “Riscos globais em segurança corporativa 2013” da Kaspersky, os ataques dirigidos podem gerar perdas de 1,7 milhões de euros a uma grande empresa. Segundo a empresa russa, nove por cento das empresas a nível mundial já sofreram este tipo de ataques. O aumento do número de ataques dirigidos às

De acordo com o estudo sobre “Riscos globais em segurança corporativa 2013” da Kaspersky, os ataques dirigidos podem gerar perdas de 1,7 milhões de euros a uma grande empresa. Segundo a empresa russa, nove por cento das empresas a nível mundial já sofreram este tipo de ataques.

26827 (1)O aumento do número de ataques dirigidos às empresas tem vindo a aumentar nos últimos anos. Isto pode trazer efeitos graves. O estudo revela ainda que 24 por cento das empresas já foram alvo de ataques às suas infraestruturas de rede e 39 por cento já foram vítimas de ataques de software.

Dos 1,7 milhões de euros de perda que uma grande empresa pode ter com ataques dirigidos, 1,6 milhões resultam da perda direta de dados críticos, despesas associadas à resolução do problema e às interrupções do negócio. O restante valor está associado a custos com a introdução de tecnologias que possibilitem proteger a empresa no futuro.

Os ataques dirigidos são uma grande ameaça informática, pois são elaborados pelos cibercriminosos mais experientes e profissionais com o objetivo de roubar informação confidencial de empresas ou organismos concretos que resultam em grandes perdas económicas.

Estes ataques são menores nas PME. A Kaspersky diz que os ataques a estas empresas geram perdas que rondam os 67 mil euros, número muito inferior ao das grandes empresas. Mas tal como nestas, a maioria do valor é para reparar danos e cerca de 15 mil euros servem para prevenir novos ataques. No entanto, tendo em conta o tamanho destas empresas, que possuem em média entre cem a 200 empregados à escala mundial, o golpe continua a ser considerável.

Os ataques a infraestruturas de rede, embora sejam menos penalizadores, podem ter também um forte impacto nas empresas. Numa grande empresa, a Karpersky prevê que os prejuízos sejam de 1,2 milhões de euros.

De todos os tipos de ataques analisados, os de software são os que representam menos riscos para as empresas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor