Empresas de tecnologia e conteúdo criam Aliança UHD

MobilidadeNegócios

Foi anunciada durante a CES 2015 o lançamento da Aliança UHD (Ultra High Definition ou Ultra-Alta Definição), uma coligação de empresas criada para definir os parâmetros da próxima geração de entretenimento em vídeo.   Os principais estúdios de Hollywood, marcas de eletrónicos de consumo, distribuidores de conteúdo e empresas de pós-produção e tecnologia apoiam a

Foi anunciada durante a CES 2015 o lançamento da Aliança UHD (Ultra High Definition ou Ultra-Alta Definição), uma coligação de empresas criada para definir os parâmetros da próxima geração de entretenimento em vídeo.

aliança uhd

 

Os principais estúdios de Hollywood, marcas de eletrónicos de consumo, distribuidores de conteúdo e empresas de pós-produção e tecnologia apoiam a iniciativa, que tem o objetivo de estabelecer novos padrões para reforçar a inovação em tecnologias de vídeo, como resolução 4K ou superiores, High Dynamic Range (HDR ou alto alcance dinâmico), WCG (ou ampla gama de cores) e áudio 3D imersivo.

A Aliança foi formada por empresas globais como Samsung Electronics Co., Ltd, DIRECTV, Dolby, Netflix, Panasonic Corporation, LG Electronics Inc., Sharp Corporation, Sony Visual Product Inc., Technicolor, The Walt Disney Studios, Twentieth Century Fox e Warner Bros. Entertainment.

Com o advento de novas tecnologias, o consumidor sente dificuldade em identificar produtos de nova geração, ao mesmo tempo que não sabe como conseguir conteúdos que beneficiem dessas tecnologias, como 4K. A Aliança UHD tem como missão oferecer informações referentes a conteúdos e dispositivos Ultra-HD e ajudar o consumidor a beneficiar de um ecossistema Ultra-HD homogéneo, integrado e de alta qualidade, de ponta a ponta. Conteúdos e dispositivos Ultra-HD superiores serão claramente identificados para que os consumidores consigam reconhecê-los com facilidade nas lojas.

“Como o ecossistema UHD continua a evoluir, estamos a fortalecer o nosso compromisso para com conteúdos e dispositivos UHD de alta qualidade”, disse Hyunsuk Kim, presidente da divisão de Painéis Visuais da Samsung Electronics. “A Aliança estimulará o desenvolvimento de conteúdos UHD de alta qualidade e, ao mesmo tempo, distinguirá as TVs que proporcionam a melhor experiência UHD ao espectador”.

“Como vemos em toda a CES, os avanços inovadores e as melhorias na qualidade das TVs estão a acontecer rapidamente”, disse Mike Dunn, presidente da Twentieth Century Fox Home Entertainment. “A Aliança UHD beneficiará os consumidores, pois identificará os produtos e conteúdos que lhes proporcionarão a verdadeira experiência UHD.”

“Essas tecnologias permitem-nos utilizar uma paleta muito mais ampla para contar as nossas histórias e, ao mesmo tempo, levar aos nossos espectadores cores mais realistas, mais contraste e imagens de qualidade superior”, disse Ron Sanders, presidente da Warner Bros. Home Entertainment. “Trabalhar com um consórcio de empresas de toda a indústria é a melhor forma de entregar essas experiências na forma de entretenimento de alta qualidade.”

A Aliança UHD busca garantir que todos os elos da cadeia – da produção, distribuição e consumo de conteúdo à capacidade de reprodução dos dispositivos – trabalhem segundo os altos padrões de qualidade identificados e, em paralelo, adotem padrões abertos e que possibilitem flexibilidade no mercado, dando aos consumidores a certeza de que poderão ver o conteúdo que quiserem nos seus dispositivos. Nos próximos meses, o grupo reunir-se-á para traçar um roteiro para promover a rápida evolução da tecnologia UHD mundialmente.

Este é um movimento importante da indústria para fomentar um novo ciclo de renovação de electrónicos de consumo. Diferente da migração dos ecrãsde definição padrão para os de alta definição, onde a diferença de qualidade dramática falava por si só, a nova onda tecnológica traz inovações que demandam melhor percepção do consumidor, que tem dificuldade em observar valor nas inovações.

Como os conteúdos de ponta, como 4K, estão espalhados por diversos serviços distintos, existe uma dificuldade real do consumidor em aceder material que explore as capacidades dos seus aparelhos. Com um consórcio da indústria dedicado ao esclarecimento e organização dessas ofertas, será mais fácil a perceção de valor e consequente migração para estas novas tecnologias, estimulando o crescimento tanto da indústria do entretenimento quanto da de eletrónicos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor