Empresa dona da Oni e Cabovisão entra para a bolsa

Negócios

A Altice, dona da Oni e da Cabovisão, vai entrar para a bolsa para continuar a expandir-se. A empresa vai dispersar nas próximas semanas entre 20 a 25 por cento do capital em bolsa, de modo a ajudar a reduzir a dívida. Dentro de quatro semanas deverão começar a ser transacionadas ações da empresa luxemburguesa,

A Altice, dona da Oni e da Cabovisão, vai entrar para a bolsa para continuar a expandir-se. A empresa vai dispersar nas próximas semanas entre 20 a 25 por cento do capital em bolsa, de modo a ajudar a reduzir a dívida.

oniDentro de quatro semanas deverão começar a ser transacionadas ações da empresa luxemburguesa, que pretende continuar a expandir-se, nomeadamente em direção a empresas de maior dimensão. Dexter Goei, presidente da Altice, explicou numa conferência com analistas que a empresa quer criar condições para continuar a crescer e a garantir capacidade para fazer aquisições que suportem esse crescimento.

A dispersão de capital na bolsa de Amesterdão está prevista para daqui a quatro semanas e o valor colocado deverá valer cerca de 750 milhões de euros. O capital deverá ser utilizado para reduzir a dívida e apostar na estratégia de consolidação.

Além de Portugal, a Altice está também presente em França, Suíça, Bélgica, Luxemburgo, Israel e República Dominicana, e por isso a empresa vê grandes capacidades para fazer aquisições em todos estes mercados mas também não descarta a hipótese de entrar noutros países. “Acreditamos na sustentabilidade a longo prazo do cabo”, afirma Dexter Goei, presidente executivo da Altice.

Em Portugal a empresa luxemburguesa adquiriu primeiro a Cabovisão e no ano passado a Oni, que estava nas mãos de fundos de investimento. No final de 2013, Alexandre Fonseca, o novo CEO da Oni e administrador do grupo a nível internacional, admitiu que a organização ponderava novas aquisições no mercado português. 

A empresa esperava adicionar os serviços de comunicações móveis à oferta local até final do ano. A primeira opção da Altice para ganhar esta valência seria o modelo de MVNO.

“Uma das razões pelas quais nós estamos a ir para os mercados de capitais é porque gostávamos de ter capacidade para fazer maiores operações”, explicou Goei, numa conferência telefónica com os analistas.

A estreia da Altice em bolsa deverá ocorrer dentro de quatro semanas em Amesterdão.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor