Empreendedores portugueses visitam Silicon Valley

Negócios

AdaptTech, Playsketch, Sceelix e Scraim foram as empresas que esta semana visitaram Silicon Valley, no âmbito do inRes, um programa de aceleração de negócios promovido pelo Programa Carnegie Mellon University Portugal, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

A estas equipas juntam-se três equipas de startups que participaram na edição de 2014: AddVolt, Followprice e Xhockware.

João Claro, diretor nacional do Programa CMU Portugal, disse em comunicado que “as quatro equipas que estão a participar este ano no inRes já passaram por um período intensivo de formação e de desenvolvimento de negócio em Pittsburgh e na CMU, em que cada equipa efetuou mais de 50 reuniões, organizou workshops com potenciais utilizadores, e participou em eventos com possíveis clientes, parceiros e investidores.” João Claro reforça ainda que “esta exposição a Silicon Valley vai permitir-lhes continuar a aplicar e desenvolver as suas competências de comunicação, de negócio e de liderança de projetos de base tecnológica.”

“A imersão em Silicon Valley surge ligada à presença da CMU na região, que assim permite às equipas estabelecer contactos com o ecossistema tecnológico e de empreendedorismo local. Conseguirmos proporcionar esta proximidade e acesso às empresas – enquanto potenciais investidores, parceiros ou clientes – sempre foi uma preocupação nossa, enquanto organização, e cuja concretização tem trazido resultados únicos e muito positivos”, diz João Claro.

Durante esta semana em Silicon Valley, as equipas vão visitar e reunir com empresas como a Facebook, a Twitter, e a Uber, vão realizar apresentações a potenciais utilizadores, parceiros e investidores, e terão ainda a oportunidade de interagir com aceleradores de empresas.

Em comunicado, os responsáveis explanam que o inRes diferencia-se por ser vocacionado para projetos que se encontram numa fase de transição muito crítica e específica do seu desenvolvimento. “A imersão num ecossistema tão rico em contactos atua como um fator impulsionador do desenvolvimento das equipas e da afirmação dos seus produtos e serviços no mercado. Essa é uma vantagem com um valor inestimável para as equipas, e que torna os nossos empreendedores e os seus projetos mais competitivos e mais fortes no mercado. Ao mesmo tempo, esta presença apoiada no terreno dá-lhes conhecimento e competências para melhor gerirem as suas startups hoje e no futuro”, afirma o diretor nacional do programa.

A par da presença em Silicon Valley, o apoio da Caixa Capital é também uma novidade desta edição do inRes, através da atribuição de um investimento de 50 mil euros a um projeto integrante da edição de 2015, que poderá ainda aceder ao investimento adicional de 100 mil euros, no âmbito do “Caixa Empreender Award”.

No dia 3 de dezembro, na Culturgest, o Programa CMU Portugal vai realizar uma sessão de encerramento da edição de 2015 do inRes, que contará com o testemunho das equipas de 2015 e de 2014  na primeira pessoa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor