O emocionado adeus a Balmer [com vídeo]

EmpresasNegócios

O presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, fez a sua despedida diante de milhares de funcionários que o aplaudiram com uma performance ruidosa e emocional na sua última reunião com toda a empresa, destacando os pontos fortes da produtora de software e atacando concorrentes, conta a Reuters. O executivo partiu ao som de “Wanna Be Startin’

O presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, fez a sua despedida diante de milhares de funcionários que o aplaudiram com uma performance ruidosa e emocional na sua última reunião com toda a empresa, destacando os pontos fortes da produtora de software e atacando concorrentes, conta a Reuters.

Business Leaders Gather In Detroit For The National Business SummitO executivo partiu ao som de “Wanna Be Startin’ Something’” de Michael Jackson, a mesma música usada na primeira reunião com funcionários da Microsoft em 1983, seguida por “(I’ve Had) The Time of My Life” do final do filme “Dirty Dancing”, arrancando aplausos em pé dos cerca de 13 mil funcionários da Microsoft que participaram do evento.

“Temos um potencial inacreditável à nossa frente, temos um destino inacreditável”, disse Ballmer, visivelmente emocionado, reutilizando uma fala da reunião de 1983. “Apenas a nossa empresa e poucas outras estão posicionadas para escrever o futuro”, continuou. “Vamos pensar grande, vamos apostar grande.”

Durante o seu tempo no palco, Ballmer falou sobre como contou aos seus pais a decisão de desistir do curso de administração da universidade de Stanford para se juntar à Microsoft em 1980, lembrando que o seu pai – um executivo de longa data da Ford – lhe perguntou o que era um computador pessoal.

Balmer deteve-se no seu novo plano para transformar a empresa de uma operação centrada em software numa empresa mais inovadora em serviços e dispositivos, que segundo ele tornariam a Microsoft “fundamentalmente mais poderosa”.

O executivo também atacou rivais, declarando que a Apple tem a ver com “estar na moda”, a Amazon.com com “ser barato”, Google com “saber mais”, mas que a Microsoft tem a ver com “fazer mais”.

“Acredito em vocês, eu acredito na missão”, disse Ballmer aos funcionários, com a voz embargada. “Fomos uma grande, ótima empresa durante anos. Seremos uma grande, ótima empresa por muitos anos mais.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor