Emirates usa impressão 3D inovadora nas cabines dos aviões [com vídeo]

Inovação

A companhia aérea anunciou que tem usado Selective Laser Sintering (SLS) para produzir componentes para as cabines dos seus aviões. A inovadora técnica de impressão 3D tem servido para criar os revestimentos dos monitores de vídeo e para a produção das grelhas de ventilação.

Em colaboração com o 3D Systems, um fornecedor de serviços que fabrica equipamento e material de impressão 3D, e o UUDS, um Escritório Europeu de Engenharia e Certificação de Aviação, a Emirates imprimiu em 3D o primeiro revestimento de monitor de vídeo com a plataforma tecnológica Selective Laser Sintering (SLS).

A tecnologia usa lasers para juntar os plásticos na forma definida por um modelo 3D e funciona de maneira diferente da tecnologia de Modelagem por Fusão e Deposição (FDM), normalmente utilizada para imprimir partes do avião em 3D.

O material usado para imprimir o revestimento de monitores de vídeo da Emirates é um novo termoplástico desenvolvido pelo 3D Systems. O Duraform ProX FR1200 possui excelentes propriedades de resistência à inflamação e uma superfície de qualidade compatível com as normas de negócio do comercio aeroespacial.

Uma das grandes vantagens de usar a técnica SLS é a redução do peso dos componentes impressos combinado com a força das partes produzidas. O revestimento do monitor de vídeo feito com SLS pode pesar menos 9% e 13% do que os componentes produzidos tradicionalmente ou através da técnica FDM. Isto tem potencial para reduzir significantemente as emissões de combustível e os custos se pensarmos na produção de peças para toda a frota de aviões da Emirates.

Adicionalmente, com a técnica SLS é possível imprimir mais do que um componente ao mesmo tempo, quando comparados com outros métodos de impressão 3D. Segundo a companhia, isto leva a uma produção mais rápida e com menos desperdício de matérias-primas.

A impressão 3D do revestimento do monitor de vídeo da Emirates passou por um vasto número de testes de estrutura, durabilidade, inflamabilidade e de químicos e está igualmente no processo de receber certificação EASA (European Aviation Safety Agency). Ao receber certificação, o revestimento do monitor de vídeo será instalado em aviões selecionados da frota da Emirates.

A companhia também colaborou com o UUDS para desenvolver a impressora 3D para as grelhas de ventilação da cabine do avião que receberam certificação EASA e já foram instaladas nos aviões para testes a bordo no final de outubro de 2017.

“Ao longo dos últimos dois anos, a Emirates Engineering tem vindo a explorar ativamente a impressão 3D para partes da cabine do avião, dado ser uma tecnologia transformacional que pode ser usada para aumentar a efciência e produtividade”, diz Ahmed Safa, Vice-presidente Senior – Serviços de Engenharia de Suporte da Emirates.

“Nós trabalhamos com vários fornecedores no desenvolvimento de protótipos de partes de cabine impressas em 3D, mas no fim decidimos avançar com o 3D Systems e o UUDS. A tecnologia que usamos tem potencial para desenvolver partes de cabine com peso reduzido sem comprometer a integridade da estrutura ou o aspeto estético”, acrescentou o executivo.

Além disso, a utilização da impressão 3D poderá trazer maior eficiência na gestão do inventário para centenas de componentes do interior da cabine do avião. Ao poder imprimir componentes necessários num pequeno espaço de tempo, a companhia aérea não terá de deter um grande inventário de peças ou esperar pela reposição do seu stock.

Veja o vídeo sobre a impressão 3D usada nas peças de cabine da Emirates:

 

De acordo com a Emirates, irá agora existir uma avaliação da performance e a durabilidade das grelhas de ventilação e do revestimento dos monitores de vídeo antes de os implementar em toda a frota. A companhia irá, também, continuar a procurar novas oportunidade para introduzir componentes com impressão 3D em todas as suas estruturas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor