É mais fácil lançar um negócio em Vila Real e Aveiro, dizem empresários

Negócios

Metade dos empreendedores portugueses aconselha a criação de novas empresas nos seus distritos, 53% das microempresas estão em situação financeira razoável e é mais fácil lançar novos negócios em Vila Real e Aveiro. São algumas conclusões no estudo de competitividade regional da plataforma de contratação Zaask.

A empresa portuguesa diz que este é o primeiro estudo que reflete o sentimento de microempresas, até dez trabalhadores, e empreendedores por todo o país. Foram inquiridos 1300 empresários no “Estudo Nacional de Competitividade Regional” da Zaask, que fornece uma plataforma de contratação de profissionais a nível local.

Algumas conclusões interessantes do estudo é que 49% dos empresários aconselham a criação de novas empresas nos seus distritos, apesar de verem a situação económica nacional e distrital de forma negativa. A facilidade em lançar um novo negócio é uma questão que divide opiniões, já que 35% veem alguma ou muita dificuldade no seu distrito, 34% não consideram nem fácil nem difícil e 31% dizem haver facilidade na implementação de um novo negócio. Neste último caso, Vila Real e Aveiro são os distritos onde os empresários dizem ser mais fácil lançar um negócio.

Quanto a apoios governamentais, a maioria dos empresários não tem conhecimento da existência de programas de formação destinados a pequenos empreendedores, promovidos pelos governos regionais/locais (76%). Entre aqueles que admitem conhecer estes programas, a maioria refere que estes são poucos (57%) ou quase nenhuns (11%).

Outro dado relevante é sobre a facilidade de contratação nos diferentes distritos: 32% considera difícil contratar no seu distrito, enquanto 28% considera ser fácil. Viana do Castelo, Portalegre, Braga e Leiria destacam-se como sendo os distritos em que existe maior facilidade em contratar, segundo as microempresas.

No que respeita à situação financeira da sua empresa, 53% dizem ser razoável (53%) e 37% consideram-na má ou muito má. As empresas da Região Autónoma da Madeira, Santarém e Bragança são aquelas que avaliaram a situação de forma mais negativa.

Apesar de tudo, existe algum sentimento positivo no que respeita à situação futura: metade dos empresários considera que a situação poderá melhorar (um pouco ou muito) ao longo do ano. São os representantes das empresas mais recentes quem mais tende a olhar para 2016 de forma mais positiva. Viana do Castelo e a Guarda são os distritos mais optimistas face às perspectivas futuras, enquanto Portalegre está mais pessimista.

O estudo completo está disponível na plataforma da Zaask.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor