Direção da BlackBerry rejeita dissolução

EmpresasNegócios

A direção da BlackBerry não acredita que uma dissolução da empresa seja, atualmente, do melhor interesse, ainda que a Microsoft, Apple e Lenovo Group, entre outros, tenham expressado interesse em adquirir partes da empresa. A direção rejeitou as propostas de várias empresas tecnológicas para adquirir vários bens da fabricante de smartphones, alegando que uma separação

A direção da BlackBerry não acredita que uma dissolução da empresa seja, atualmente, do melhor interesse, ainda que a Microsoft, Apple e Lenovo Group, entre outros, tenham expressado interesse em adquirir partes da empresa.

BlackBerry buildingA direção rejeitou as propostas de várias empresas tecnológicas para adquirir vários bens da fabricante de smartphones, alegando que uma separação não serve os melhores interesses dos acionistas, algo que inclui, para além dos acionistas em si, os empregados, clientes e fornecedores.

Tanto a Microsoft como a Apple expressaram interesse na “propriedade intelectual” da empresa canadiana e nas suas patentes. Em 2011, as três empresas juntaram-se para comprar patentes de uma empresa de telecomunicações canadiana que tinha entrado em falência. A BlackBerry também tinha estado em discussões com a Cisco, Google e Lenovo, entre outros, para a aquisição de partes ou da totalidade da empresa.

Na passada segunda-feira, a empresa canadiana abandonou os planos de se vender a si própria, nomeando um novo CEO interino e um investimento de mil milhões de dólares. As ações da BlackBerry desceram 16 por cento por se considerar “ter perdido a oportunidade de voltar a dar valor aos acionistas”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor