Estudo: Desconfio que isto não é seguro mas… vou usar na mesma!

Segurança
0 19 Sem Comentários

A maioria dos internautas consideram que os canais de comunicação online não são fiáveis, mas ainda assim utilizam-nos regularmente, inclusive para discutir assuntos privados. Estas foram as conclusões de um estudo da Kaspersky Lab realizado em conjunto com a B2B International.

Segundo o estudo lançado hoje para a comunicação social, os utilizadores consideram que os programas de troca de mensagens de imagens são os mais inseguros, com 70% dos entrevistados a verem estas ferramentas dessa forma. Além disso, 62% não confiam nas aplicações móveis de mensagens instantâneas (incluindo redes sociais), 61% desconfiam das chamadas online (VoIP) e 60% não acreditam que os serviços de vídeo chat são seguros.

Por outro lado, os inquiridos indicaram as mensagens através de redes sociais (37%), as aplicações móveis de troca de mensagens (25%) e as chamadas online (15%) como as ferramentas de comunicações online mais utilizadas.

O estudo reflete que são os homens que fazem chamadas VoIP com mais frequência (17% vs. 14% de mulheres), enquanto elas usam mais as redes sociais (41% vs. 35%). De acordo com o estudo, as ferramentas não são utilizadas apenas em casa, mas também em lugares públicos – no escritório e durante viagens.

Estas conclusões estão em linha com os resultados de um teste ao nível de ciberinteligência dos utilizadores, no qual participaram 18 mil pessoas de países de todo o mundo, entre os quais Portugal, e segundo o qual 35% dos internautas trocam informações privadas através de qualquer app disponível, e apenas 28% preferem não discutir questões pessoais online.

Para a Kaspersky Lab, existe e sempre existiu um conflito entre o direito individual à privacidade de dados e a preocupação com a segurança. E segunda esta empresa especializada em segurança, este cenário não mudará, a não ser que haja uma mudança nas prioridades, dependendo do contexto geopolítico e de segurança.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor