Competição pelo e-Commerce intensifica na China

e-Commercee-MarketingNegócios

A Tencent e a Alibaba, as duas empresas mais poderosas de Internet do país, estão a investir cada vez mais no comércio eletrónico. A Tencent opera com serviços de mensagens como o QQ e o WeChat, enquanto que o Alibaba possui sites de e-Commerce como o Taobao e ainda o Tall. O comércio eletrónico representa

A Tencent e a Alibaba, as duas empresas mais poderosas de Internet do país, estão a investir cada vez mais no comércio eletrónico. A Tencent opera com serviços de mensagens como o QQ e o WeChat, enquanto que o Alibaba possui sites de e-Commerce como o Taobao e ainda o Tall.

credit card

O comércio eletrónico representa um negócio de quase 335 mil milhões de dólares na China, um valor que tem vindo a aumentar ao longo dos anos e que em 2012 estava fixado nos 221 mil milhões de dólares. É notório, portanto, o potencial deste tipo de negócio na China e, nesse sentido, tanto a Tencent como a Alibaba pretendem disputar entre si o monopólio desta área emergente.

A Tencent referiu há uns dias que estaria disposta a desembolsar aproximadamente 193 milhões de dólares para uma participação de quase dez por cento nas holdings da China do Sul, região onde operam bastantes armazéns e fábricas de outlet centres que a empresa considera serem importantes.

A empresa está também a efetuar investimentos próprios e, recentemente resolveu ter os seus próprios recursos e-Commerce, que incluem sites como o 51Buy e o QQ Wanggou. A Tencent resolveu também adicionar um recurso de pagamento para o WeChat que é visto como importante para servir os utilizadores do serviço.

Por sua vez, a Alibaba afirmou em dezembro que estava a investir 360 milhões de dólares na Haier Group, uma das principais empresas chinesas de aparelhos eletrónicos domésticos.

A Alibaba também anunciou recentemente a intenção de criar uma plataforma de jogos móvel “onde irá oferecer aplicações desenvolvidas por programadores externos e compartilhar todas as receitas com estes”. Recorde-se que a Tencent gera mais de metade das receitas com jogos, o que revela a tentativa da Alibaba em intrometer-se no mercado da Tencent.

Segundo Bryan Wang, um analista da Forrester Research, “a Tencent está a tentar ser mais influente no espaço do comércio eletrónico, desafiando a Alibaba, numa altura em que maioria dos serviços está a ser sobreposta”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor