Comissão Europeia quer fim da hegemonia dos EUA na Internet

e-RegulaçãoEmpresasLegalNegócios

Neelie Kroes, vice presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital da União Europeia, afirmou que a governação da Internet deve tornar-se mais global e não favorecer apenas os direitos dos países com mais influência, nomeadamente os Estados Unidos. “A relação exclusiva da ICANN com os Estados Unidos deve terminar”, considera a vice-presidente da

Neelie Kroes, vice presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital da União Europeia, afirmou que a governação da Internet deve tornar-se mais global e não favorecer apenas os direitos dos países com mais influência, nomeadamente os Estados Unidos.

neelie-kroes-800x532

“A relação exclusiva da ICANN com os Estados Unidos deve terminar”, considera a vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital da União Europeia, Neelie Kroes. Segundo Kroes, “a ligação histórica está ultrapassada e a governação da Internet deve tornar-se mais global”.

“O papel das autoridades públicas, defende, deve ser claramente definida para ser consistente com uma Internet aberta e livre. Devem ser estabelecidas soluções para conflitos entre jurisdições nacionais”, acrescentou Neelie Kroes.

Kroes salientou ainda que os governos devem fortalecer um modelo de múltiplas partes interessadas. Nesse sentido, ao apresentar a política, a Comissão Europeia está a tentar acelerar a reforma na governação da Internet

O vice presidente da ICANN Europa, Nigel Hickson, já respondeu à proposta. “A ICANN está agradada pelo facto de a Comissão Europeia enfatizar a necessidade de apoiar uma abordagem que envolva múltiplos intervenientes para a gestão da Internet”, respondeu.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor