Coligação promotora do emprego em TIC apresenta estratégia para próximos anos

EmpregoGestão

A Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital (CPED) vai apresentar a sua estratégia e plano de ação no próximo dia 24 de junho. A aliança visa promover a oferta de talento em Tecnologias de Informação e Comunicação.

Criada no passado mês de abril, a Coligação é composta por 18 entidades, entre as quais o IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, a Direção Geral do Ensino Superior e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

As atividades da CPED são coordenadas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia e a estratégia será o fruto da reflexão das 18 organizações envolvidas, e deverá ser colocada em prática já este ano. A CPED quer mitigar as falhas que existem ao nível da oferta de profissionais das TIC, tendo em consideração que se estima que em 2020 haverá um défice de cerca de 900 mil destes profissionais na Europa.

Dizem fontes oficiais que a Estratégia e Plano de Ação da Coligação alicerça-se em quatro eixos: qualificação e requalificação para emprego em TIC; crescimento das empresas e novo emprego em TIC; sensibilização da sociedade para o digital; internacionalização do setor das TIC e captação de investimento direto estrangeiro.

O projeto prevê o envolvimento das esferas do Emprego, da Educação e da Economia, e procura “a criação e/ou articulação de instrumentos de política nacional, pública e privada, que concorram para o preenchimento dos postos de trabalho em TIC previstos até 2020, num contexto de elevado desemprego, em particular jovem e qualificado”, refere a FCT em nota de imprensa.

Em Portugal, existem, de momento, mais de cinco mil vagas por preencher em TIC, número que se calcula que chegue aos 20 mil dentro de cinco anos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor