CMU Portugal lança novo programa de aceleração inRes

InovaçãoNegóciosStartup

O programa Carnegie Mellon Portugal abriu as candidaturas para a terceira edição do inRes, uma iniciativa de aceleração empresarial que tem lugar em Pittsburgh, Estados Unidos.

O alvo deste programa, “inRes – Entrepreneurship In Residence”, são empreendedores portugueses na área das Tecnologias de Informação e Comunicação. As duas edições anteriores levaram 16 empreendedores até aos Estados Unidos, com uma passagem por Silicon Valley em 2015, algo que se repetirá este ano. As candidaturas para a terceira iniciativa estão abertas até 16 de maio.

“Os bons resultados das edições anteriores são demonstrativos do de contributo real do inRes para o sucesso novos produtos e serviços num mercado internacional, aumentando a sua viabilidade, sustentabilidade e competitividade do ponto de vista económico”, justifica João Claro, coordenador do InRes e diretor nacional do Programa CMU Portugal, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Para dar a conhecer a edição 2016, vão decorrer sessões de apresentação no Porto (UPTEC, a 18 de abril, e INESC TEC, a 2 de maio), em Lisboa (Beta-i, a 21 de abril) e Coimbra (IPN, a 27 de abril). O inRes é também apoiado pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, em parceria com a CMU, a Pittsburgh Regional Alliance e o INESC TEC.

O programa é desenhado a pensar no desenvolvimento dos participantes em termos de evolução do negócio e capacitação dos empreendedores, sendo precedido de um período intensivo de preparação em Portugal.

“Um dos eixos fundamentais do inRes consiste em aperfeiçoar e validar iterativamente os conceitos de produto e os modelos de negócio, através de sucessivos contactos com potenciais utilizadores, clientes ou parceiros”, adianta João Claro, referindo a um trabalho que utiliza princípios da abordagem Lean Launchpad.

Esta exposição a Pittsburgh e a Silicon Valley, ligada à presença da CMU em ambas as regiões, permite às equipas estabelecer contactos com os ecossistemas tecnológicos e de empreendedorismo locais. “Acrescentamos valor através do inRes, reforçando a dimensão de proximidade e permitindo aos participantes aplicar e desenvolver as suas competências de comunicação, de negócio e de liderança de projetos de base tecnológica” reforça o responsável.

A 3ª edição do inRes arranca em junho com um período de formação intensiva em Portugal, que se prolonga até setembro, em que as equipas vão participar em workshops e em reuniões de trabalho com peritos nacionais e da CMU. O período de imersão de sete semanas de imersão nos Estados Unidos acontece depois entre setembro e outubro, com enfoque no processo de aceleração do negócio, no desenvolvimento do conceito de produto ou serviço, e reforço das competências de gestão e liderança para projetos em fase inicial.

Além de João Claro, entre os especialistas envolvidos nesta terceira edição destacam-se Dave Mawhinney, codiretor do Centro de Inovação e Empreendedorismo da CMU e diretor do i6 AgileInnovation SystemKit Needham, do acelerador “Project Olympus”, e Tara Branstad e Reed McManigle, do Centro de Transferência de Tecnologia e Criação de Empresas (CTTEC) da CMU.

As candidaturas decorrem até 16 de maio.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor