CMU Portugal investe 5,2 milhões de euros em investigação

Negócios

O programa Carnegie Mellon Portugal escolheu seis projetos de investigação para financiar durante os próximos quatro anos, numa edição que vai custar 5,2 milhões de euros.

São as novas Iniciativas Empreendedoras de Investigação  (Entrepreneurial Research Initiatives – ERI) selecionadas pelo CMU Portugal entre um total de 24 candidaturas. Os projetos destacaram-se pelo “elevado potencial de inovação” na resolução de problemas concretos, colocando os resultados ao serviço das pessoas e da economia.

Com  o arranque de mais quatro ERI, naquele que foi o segundo concurso promovido pelo programa CMU Portugal, aumenta para 11,2 milhões de euros o valor investido em investigação avançada de carácter interdisciplinar, empreendedor e inovador, em articulação com o tecido empresarial.

“O painel de peritos internacionais que avaliou as candidaturas voltou a destacar a qualidade científica dos projetos a concurso, reforçando o seu contributo e o potencial de impacto no contexto económico, social e científico”, indica João Claro, diretor nacional do programa CMU Portugal, que é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

No total, participam nesta edição mais de 40 instituições e empresas, entre parceiros institucionais  e empresariais, com um volume de cofinanciamento previsto de 1,4 milhões de euros.

Entre as empresas envolvidas estão a Petrogal/Galp Energia, Sapo Labs, Veniam, Priberam, Lusotechnip Engenharia, Action Modulers, BMD Software, First Solutions, Steinbeis Advanced Risk Technologies e Voice Interaction.

O objetivo, diz o professor João Claro, é prosseguir a “aposta em projetos de investigação em que o desenvolvimento de conhecimento se integra estrategicamente com a criação de soluções para problemas concretos, com impacto social e económico.”  Todas as iniciativas envolvem equipas multidisciplinares, com a participação obrigatória de investigadores de instituições portuguesas, da CMU e um ou mais parceiros empresariais.

Todos os projetos de investigação selecionados são de base tecnológica. Eis a lista de projetos:

  • +Atlantic, Ciência e Tecnologia Política e Análise de Inovação para Maximizar os Benefícios Económicos, Ambientais e Sociais da Exploração do Mar Profundo e de Petróleo & Gás na Região do Atlântico Sul – liderado pelos investigadores Ramiro Neves (IST-ID) e Michael Griffin (CMU)
  • BioVisualSpeech, Plataforma Interativa com Bio-feedback visual para Terapia da Fala – liderado pelos investigadores Sofia Cavaco (FCT/UNL) e Maxine Eskenazi (CMU)
  • GoLocal, Da Monitorização de Fluxos de Dados Globais à Recomendação com Base em Contexto – liderado pelos investigadores João Magalhães (FCT/UNL) e Jamie Callan (CMU)
  • S2MovingCity, Monitorizar e Servir uma Cidade em Movimento – liderado pelos investigadores Susana Sargento (IT/U. Aveiro) e Manuela Veloso (CMU)
  • SCREEN-DR, Plataforma de Análise de Imagem e de Aprendizagem Computacional para a Inovação no Rastreio da Retinopatia Diabética – liderado pelos investigadores Aurélio Campilho (INESC TEC / U. Porto) e Gustavo Rohde (CMU)
  • STRETCHTRONICS, Mecatrónica Flexível para Roupa e Biomedicina: Fabrico, Implementação e Aplicações – liderado pelos investigadores Aníbal Traça de Almeida (ISR-Coimbra) e Carmel Majidi (CMU).

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor