Cisco vai despedir 5500 pessoas e focar-se em software

EmpregoEmpresasGestãoNegócios
0 0 Sem Comentários

A Cisco vai despedir 5500 pessoas num processo de reestruturação que irá modificar o foco da empresa. É uma redução de 7% da sua força de trabalho.

Os despedimentos terão um custo volumoso, calculado em 325 a 400 milhões de dólares. Segundo avança a Reuters, o motivo da reestruturação é uma mudança de foco, dos switches e routers para o software. O negócio tradicional de hardware da Cisco tem taxas de procura e crescimento baixas quando comparado com a velocidade de adoção de sectores como a segurança, a nuvem e a Internet das Coisas.

A empresa também está a sentir com mais força a concorrência de marcas como a Huawei e a Juniper Networks no segmento de hardware. As receitas no negócio de routers caíram 6% no quarto trimestre fiscal da Cisco, que terminou a 30 de julho, enquanto os switches cresceram apenas 2%. No global, o volume de negócios caiu 1,6% para 12,64 mil milhões de dólares, mas os lucros subiram de 2,32 para 2,81 mil milhões.

No trimestre que agora começou, o primeiro do novo ano fiscal, o volume de negócios deverá ficar estagnado, disseram os executivos na conferência com analistas após a divulgação dos resultados.

Falando sobre a baixa procura por parte de fornecedores de serviço e nos mercados emergentes, o CEO Chuck Robbins disse aos analistas não ter a certeza  de como gerar “qualquer melhoria nestes dois segmentos em particular no futuro.”

Robbins assumiu a posição em julho do ano passado, substituindo John Chambers, e desde lá tem reforçado a mudança de direção para software e serviços. Os resultados são positivos: só a segurança cresceu 16% em receitas no quarto trimestre. Neste primeiro ano como CEO, Robbins já liderou dez aquisições, como a Jasper Technologies (IoT) e a CloudLock (segurança na cloud).

As poupanças após os despedimentos serão reinvestidas nestas áreas-chave de crescimento.

Embora as ações da Cisco tenham caído nas trocas fora de horas após os resultados, a valorização este ano é superior a 13%.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor