Cisco aposta em identificação de aplicações em código aberto

e-MarketingEmpresasGestão de RedesNegóciosRedes

A Cisco anuncia a possibilidade de desenvolvimento e integração de novas características de identificação de aplicações em código aberto no seu motor Snot, a partir do lançamento da OpenAppID. Ao lançar a nova plataforma OpenAppID, a Cisco desenvolve a deteção e controlo de aplicações baseadas em código aberto, dando oportunidade aos utilizadores de criar, partilhar

A Cisco anuncia a possibilidade de desenvolvimento e integração de novas características de identificação de aplicações em código aberto no seu motor Snot, a partir do lançamento da OpenAppID.
0013729929f1132dee4303Ao lançar a nova plataforma OpenAppID, a Cisco desenvolve a deteção e controlo de aplicações baseadas em código aberto, dando oportunidade aos utilizadores de criar, partilhar e integrar novas capacidades de identificação de ameaças o mais rapidamente possível.
Este novo tipo de linguagem provido pela OpenAppID permite uma maior visibilidade de aplicações, acelerando simultaneamente o desenvolvimento de detetores de aplicações e facilitando o controlo e partilha de detetores com vista a uma maior proteção.
A plataforma é particularmente importante para as organizações que detêm aplicações especializadas e para empresas pertencentes a setores que exigem grandes níveis de identificação e controlo.
“O código aberto é fundamental porque gera uma colaboração real e de confiança entre fornecedores de soluções e os especialistas encarregues de combater as ameaças avançadas. Com a deteção e controlo de aplicações baseadas em código aberto, a Cisco impulsiona a criação de soluções com maior qualidade técnica para responder aos desafios de segurança mais complexos”, afirma o o criador do Snort,  Vice presidente e também Arquiteto Chefe da divisão de segurança da Cisco, Martin Roesch.
A Cisco apresentou também uma nova versão do motor Snort que inclui o pré-processador da OpenAppID que permite à comunidade que comece o trabalho na aplicação para construir os detetores.
O pré-processador suporta a deteção de aplicações na rede, geração de relatórios sobre estatísticas de utilização, bloqueio de aplicações em funções políticas, extensão de regras de linguagem Snort de modo a facilitar a especificidade de aplicações, relatórios sobre “Nomes de Aplicação”, bem como uma biblioteca com mais de mil detetores gratuitos OpenAppID.

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor