ChinaVision vende participação de 60 por cento à Alibaba

EmpresasNegócios

A Alibaba comunicou o novo acordo traçado com a ChinaVision, através do qual vai adquirir uma participação de 60 por cento da empresa de entretenimento televisivo e cinematográfico, por uma quantia de 804 milhões de dólares. Este negócio vai permitir que a Alibaba consiga aceder a conteúdos televisivos e cinematográficos da ChinaVision, numa altura em

A Alibaba comunicou o novo acordo traçado com a ChinaVision, através do qual vai adquirir uma participação de 60 por cento da empresa de entretenimento televisivo e cinematográfico, por uma quantia de 804 milhões de dólares.

Alibaba

Este negócio vai permitir que a Alibaba consiga aceder a conteúdos televisivos e cinematográficos da ChinaVision, numa altura em que o mercado chinês de Internet, o segundo maior do mundo, torna-se cada vez mais severo e implacável.

Este negócio, disse a Alibaba ontem, alinha-se com a sua “estratégia de entretenimento digital” e objetiva conservar os utilizadores atuais e adquirir outros mais. A empresa pretende obter as armas necessárias para melhor competir com as suas rivais, como a Tencent, que verá a sua participação de oito por cento da ChinaVision reduzia para três por cento aquando da concretização do acordo.

A Alibaba, a Tencent e a Baidu constituem o trio imperador do setor chinês da Internet, e batalham entre si através da compra ou da formação de parceiras com empresas nacionais de menores dimensões.

A austeridade deste mercado na China é consequência das alterações nas formas como os consumidores usufruem de conteúdos digitais, pois cada vez são mais os utilizadores chineses que recorrem aos smartphones como principal dispositivo de acesso à Grande Rede.

O conteúdo de vídeo da ChinaVision a que a Alibaba terá acesso será uma ferramenta através da qual esta última poderá reformar a sua plataforma de comércio eletrónico, tornando-a mais apelativa e cativando, assim, um maior número de utilizadores.

A Alibaba considera de grande premência a captura de novos consumidores dos seus serviços, pois anseia em sair da sombra da Tencent, cuja aplicação de mobile-messaging WeChat faz com que esta empresa se mantenha na primeira posição na corrida para a aquisição de mais utilizadores.

A ChinaVision afirma que este novo acordo possibilitará um aumento nos seus financiamentos e permitirá que a empresa ascenda a uma posição na qual esteja apta a melhor e mais eficientemente capitalizar os seus conteúdos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor