CEO da proprietária do Ashley Madison entrega a demissão [atualizado]

EmpresasNegóciosSegurança

O diretor-geral da empresa-mãe do website de infidelidade Ashley Madison abandonou o cargo, depois de um ciberataque ter resultado na exposição massiva de dados dos utilizadores de um serviço em que o anonimato é o sucesso do negócio.

A canadiana Avid Life Media, que administra as operações do website prestador de “aventuras extraconjugais”, anunciou, na passada sexta-feira, que o CEO Noel Biderman deixara a direção executiva da empresa, acrescentando que a atual equipa de administradores seniores assumirá as funções, até ser encontrado um substituto.

De acordo com o Washington Post, Biderman não comentou, pelo menos de imediato, a sua saída, que a Avid Life Media caracterizou como sendo fruto de um consenso entre ambas as partes.

A queda vertiginosa do Ashley Madison começou em julho, quando o grupo Impact Team lançou um ciberataque contra o sistema do website e roubou os dados de mais de 37 milhões de contas dos seus utilizadores, que, dada a natureza do negócio em causa, prezam muito a sua privacidade e anonimato. Entre os dados roubados estavam emails, transações bancárias e outras informações pessoais.

Depois da fuga de dados, o Impact Team fez um ultimato: ou o Aslhey Madison fechava as portas, ou os dados dos seus utilizadores seriam publicados na Internet. A Avid Life Media não acedeu ao pedido do grupo cibercriminoso e os dados foram disseminados pela web.

O jornal norte-americano conta que a empresa-mãe oferecia uma recompensa de 500 mil dólares a quem prestasse informações acerca do paradeiro e identidade dos criminosos.

A Avid Life diz que está a colaborar com as autoridades de investigação policial para trazer os hackers perante a justiça.

O investigador em cibersegurança Brian Krebs, que tem acompanhado ativamente o ataque ao Ashley Madison, afirma, de acordo com o The Guardian, que um utilizador do Twitter chamado Thadeus Zu pode estar associado ao Impact Team. Krebs sustenta a sua suspeita no facto de Thadeus Zu, que diz poder ser um nome utilizado por vários criminosos do grupo, ter sido o primeiro a publicar uma hiperligação que dava acesso às informações roubadas.

Ao contrário do que se poderia esperar, a base de utilizadores do Ashley Madison continua a crescer. Estas informações, algo surpreendentes, são avançadas pela Avid Life Media que afirma que, nas últimas semanas, registou centenas de milhares de novas inscrições, mesmo após o incidente.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor