CEO da Nintendo morre com 55 anos

Gestão

O diretor-geral e presidente da Nintendo morreu este sábado, vítima de doença prolongada. Satoru Iwata deixou um espaço em branco na liderança da empresa japonesa, que ainda não tem quem o preencha.

A Nintendo comunicou, durante a madrugada de hoje, que o seu CEO morrera este sábado, dia 11, depois de um longo combate contra um tumor no canal biliar. A referência do mundo dos videojogos fica sem líder no ano fiscal (a terminar no próximo mês de março) em que espera duplicar os seus lucros operacionais. Esta projeção baseia-se num acordo estabelecido com a fabricante de jogos online DeNA, traçado sob a alçada de Iwata, e que tenciona levar a Nintendo até ao universo dos smartphones, e fazer crescer as suas receitas, depois de anos de volumes de vendas decrescentes.

Consta que o falecido CEO resistia à entrada no mercado dos telemóveis pois receava estar a colocar um fim ao seu tradicional negócio de consolas. No entanto, este estoicismo foi recebido com algumas críticas por parte dos investidores, que apelavam a uma mudança de rumo para suportar a pressão cada vez mais acérrima exercida pela concorrência.

A cadeira de CEO continua vaga, mas Genyo Takeda, um dos principais criadores da consola Wii, e Shigeru Miyamoto, pai dos jogos do Mario e Donkey Kong, são fortes candidatos.

A Nintendo disse que Iwata fora submetido a uma intervenção cirúrgica para retirar o tumor, tendo, posteriormente, regressado às suas funções. No entanto, apesar de ter marcado presença na reunião anual da empresa a 26 de junho, a situação do CEO mudou drasticamente de rumo nos últimos dias, culminando no seu falecimento. Iwata estava no leme da estratégia que ia levar os jogos da Nintendo até aos smartphones e ditar o início de uma nova era para a empresa nipónica.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor