CEO da IBM quer reconquistar confiança do governo chinês

Business IntelligenceData-StorageEmpresasNegócios

Depois da queda registada nas vendas da IBM na China e das alegações de espionagem contra Washington, a presidente-executiva da empresa, Ginni Rometty, deslocou-se a Pequim para algumas reuniões. A executiva da maior empresa de serviços de tecnologia do mundo deslocou-se até à capital chinesa, para três dias de reuniões com líderes do governo. A

Depois da queda registada nas vendas da IBM na China e das alegações de espionagem contra Washington, a presidente-executiva da empresa, Ginni Rometty, deslocou-se a Pequim para algumas reuniões.

Virginia Rometty IBM 4zu3A executiva da maior empresa de serviços de tecnologia do mundo deslocou-se até à capital chinesa, para três dias de reuniões com líderes do governo. A companhia procurar restaurar a confiança em reguladores chineses e reverter a queda nas vendas.

Depois das revelações sobre espionagem feitas no ano passado pelo ex-prestador de serviços de agência de espionagem norte-americana Edward Snowden, Pequim tem encorajado companhias estatais a comprar produtos feitos na China.

Este encorajamento tem prejudicado os negócios em algumas multinacionais sediadas nos EUA, com operações na China.

A CEO  terá reuniões com autoridades chinesas incluindo o vice-presidente Wang Yang (responsável por ajudar a formular a política económica da China), com o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação e com grandes clientes empresariais.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor