Caso São Bernardino: FBI pagou mais de US$ 1 milhão para entrar no iPhone do atirador

MobilidadeSegurançaSmartphones

A quantia paga pelo FBI foi tão expressiva que o diretor do FBI, James Comey, disse que a agência pagou mais para aceder ao iPhone de um dos atiradores de São Bernardino do que ele vai receber em sete anos de trabalho.

De acordo com dados do FBI e do Escritório de Administração e Orçamento dos Estados Unidos, o salário anual de Comey desde janeiro de 2015 é de 183,3 mil dólares. Sem aumento ou bónus, Comey irá  auferir1,34 milhões de dólares até ao final do seu trabalho.

Isto sugere que o FBI pagou o maior valor já divulgado a um técnico de hacking, uma vez que o maior montante pago, até este momento, era de 1 milhão de dólares para a empresa de segurança de informação Zerodium invadir telefones.

No Fórum de Segurança Aspen em Londres, Comey foi questionado por um moderador que valor foi pago pelo FBI pelo software que, eventualmente, acedeu ao iPhone.

“Uma enormidade. Mais do que eu vou ganhar no resto do meu trabalho, que é de sete anos e quatro meses, com certeza”, disse Comey. “Mas, na minha opinião, valeu a pena.”

O Departamento de Justiça dos EUA disse em março que desbloqueou o iPhone de um dos atiradores de São Bernardino com a ajuda de uma terceira parte não identificada e desistiu do caso contra a Apple, encerrando uma disputa legal, mas deixando o debate sobre criptografia sem desfecho.

Comey disse que o FBI será capaz de usar o software utilizado no telefone de São Bernardino em outros iPhones 5C que tenham instalado o software IOS 9.

*Com informações da Thompson Reuters

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor