Carros conectados podem salvar receitas da indústria automóvel

Inovação
0 0 Sem Comentários

A transformação digital também está a atingir a indústria automóvel. Os grupos de fabricantes automóveis encontram-se a meio de um processo de transformação que tem as tecnologias digitais como origem, mas apenas aquelas que forem bem-sucedidas em se reinventarem conseguirão manter-se relevantes e sustentar as suas receitas, diz a consultoria McKinsey & Company.

A empresa acredita que os carros conectados abrem três novas fontes de receita para os fabricantes. A primeira é a venda de produtos e serviços diretamente para o dono do veículo, na forma de pacotes de atualização de mapas online, streaming de áudio e mesmo serviços de concierge.

A segunda fonte é a venda de dados digitais em grandes volumes (big data) a outras companhias, como seguradoras e retalhistas, que podem analisar essas informações para adequarem os seus produtos e serviços.

Em terceiro lugar, há a possibilidade de usar os canais digitais integrados ao carro para viabilizar publicidade direcionada ao motorista – como promoções nos concessionários locais e de empresas de produtos e serviços para o carro.

Segundo a McKinsey, hoje 65% das vendas de carros começam no ambiente digital, com o consumidor a pesquisar as características e funcionalidades de modelos diferentes e a comparar os preços. Esse percentual deve chegar a 80% em 2022.

Os carros conectados também apresentam enormes oportunidades de redução de custos tanto para o fabricante quanto para o utilizador, segundo a McKinsey. Para a indústria, a análise remota de dados capturados por sensores nos carros digitais permite reduzir os gastos com pesquisa e desenvolvimento e com materiais, monitorando tanto o comportamento de diferentes partes do carro como o estilo de condução, que pode ajudar na criação de sistemas para gestão de combustíveis.

Para o motorista, os dados produzidos pelo seu carro podem ajudar a reduzir custos com seguro, dado o seu perfil de uso, além de informar sobre a necessidade de manutenção antes de uma avaria e sugerir formas de otimizar os padrões de condução para reduzir o consumo de combustíveis.

O principal desafio para os fabricantes de veículos nos próximos anos será criar produtos e serviços que sustentem as suas receitas ao mesmo tempo que reduzem custos para si próprias e para o próprio consumidor, explica a consultoria. Só assim poderão navegar num mundo em que as prioridades das pessoas em relação à mobilidade estão a mudar rapidamente e a competição a aumentar.

Essa quarta-feira, 19 de outubro, decorre em São Paulo a McKinsey Digital Conference, em que temas como esse e outros ligados à transformação digital serão discutidos por especialistas da consultoria e clientes.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor