Receitas da Capgemini aumentam 3,4% no terceiro trimestre de 2017

GestãoResultados

O Grupo Capgemini apresentou os resultados do terceiro trimestre de 2017 em que alcançou um volume de receitas consolidadas de 3.046 milhões de euros. Este aumento representa uma progressão de 0,9% em comparação com o período homólogo anterior e um crescimento de 3,4% a taxas de câmbio constantes.

Durante o terceiro trimestre, as vendas totalizaram 2.700 Milhões de euros a taxas de câmbio constantes. Menos 1% do que o valor registado no mesmo período do ano de 2016.

As atividades Digital & Cloud apresentaram um crescimento de 23% a taxas de câmbio constantes. Já os Consulting Services, que representam 4% do volume de negócios, registaram um crescimento de 16% neste trimestre, a taxas de câmbio constantes, alimentado por uma forte progressão na Região Resto da Europa e pelos investimentos realizados na área do digital na região da América do Norte.

Os Technology & Engineering Services, que representam 15% do volume de negócios do Grupo, particularmente dinâmicos na América do Norte e em França, atingiram um crescimento do volume de negócios de 3,8% a taxas de câmbio constantes.

Por seu turno, os Application Services, que constituem 63% do volume de negócios, testemunharam um crescimento de 5,7% a taxas de câmbio constantes. O crescimento foi alimentado por uma forte procura de ofertas inovadoras e situou-se nos 10% em França, na Europa Central, na Escandinávia, em Itália e na Ásia.

Por último, os Other Managed Services registaram uma redução de 6,3%, que se deveu essencialmente ao decréscimo da procura dos serviços de infraestrutura no Reino Unido, bem como na região da América Latina.

“Este terceiro trimestre é assinalado pelo crescimento mais rápido e significativo dos negócios do Grupo, em particular na região da América do Norte (+6,9% a taxas de câmbio constantes) onde os nossos investimentos estão a ter resultados evidentes. O nosso desempenho nesta região é sublinhado pelo dinamismo das nossas atividades nos setores da indústria, bens de consumo e distribuição”, afirma, em comunicado, Paul Hermelin, Chairman e CEO do Grupo Capgemini.

“O elevado ritmo de crescimento das nossas atividades no Digital e na Cloud mantém-se (+23% a taxas de câmbio constantes neste trimestre). Também neste segmento reforçámos o nosso posicionamento enquanto líder mundial no comércio eletrónico com a aquisição do Lyons Consulting Group, empresa americana especializada em e-commerce”, acrescenta.

“A nossa capacidade para acompanhar os clientes na sua transformação é um dos motores do nosso crescimento desde a criação do Grupo há 50 anos atrás. O contrato mundial que assinámos com a McDonalds este verão é um exemplo disto: passámos a ser o seu parceiro estratégico de TI a nível mundial, nomeadamente na digitalização da experiência do cliente”, refere o  executivo.

 O Grupo prevê para 2017 um crescimento das receitas a taxas de câmbio constantes de 3% e uma margem operacional que se deverá situar entre os 11,7% e os 11,9%. Espera-se que o free cash flow orgânico ultrapasse os 950 milhões de euros.

“Com base nestes objetivos confirmamos os nossos objetivos de crescimento do volume de negócios, da margem operacional e de free cash-flow para 2017”, finaliza o responsável.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor