Canon de olhos postos em empresa de video-vigilância

Negócios

A Canon quer comprar a especialista em vigilância Axis. O negócio rondará os 2,83 mil milhões de dólares e permitiria à empresa japonesa expandir-se para lá das fronteiras do mercado das câmaras fotográficas, que tem vindo a perder pujança. A acontecer, este seria o maior negócio na história da Canon, que está veemente a procurar

A Canon quer comprar a especialista em vigilância Axis. O negócio rondará os 2,83 mil milhões de dólares e permitiria à empresa japonesa expandir-se para lá das fronteiras do mercado das câmaras fotográficas, que tem vindo a perder pujança.

A logo of Canon Inc is pictured at an electronics store in TokyoA acontecer, este seria o maior negócio na história da Canon, que está veemente a procurar reduzir a sua dependência do declinante mercado das câmaras.

A sueca Axis, cujo negócio assenta no desenvolvimento de redes de câmaras para vigilância e segurança, disse já, de acordo com a Reuters, que o seu conselho administrativo aprovara unanimemente a proposta da Canon. A empresa garantiu também que três dos seus maiores investidores apoiarão o acordo de aquisição.

Apesar de não serem conhecidos os exatos lucros que a Canon obtém do seu segmento de câmaras de vigilância, a fabricante japonesa vê este setor como uma crescente fonte de oportunidades de negócio e de receitas.

De acordo com a consultora IHS, ao açambarcar a Axis, a Canon está a conquistar a liderança no setor da videovigilância, que em 2014, segundo consta, assomou aos 15 mil milhões de dólares.

A queda do setor das câmaras fotográficas tem sido alimentada pelos smartphones que integram câmaras de alta definição, e que estão a empurrar para a sombra os produtos de fabricantes como a Canon. Contudo, a Reuters afirmou que, em janeiro, a Canon registara um ténue aumento nos lucros do quarto trimestre de 2014, amortecendo a pressão exercida pelos telemóveis inteligentes com a diminuição do valor do yen e o reforço das vendas de equipamentos para escritório.

Em 2014, 80 por cento das receitas da Canon foram geradas fora do Japão.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor