Candy Crush é rei nas férias

Negócios

Já João Pequito, CEO da PSE, não se deixa enganar: é impossível desligar-se mesmo estando em férias, confessa. “A diferença é que agora poderemos tratar de alguns assuntos, por exemplo, com os pés dentro de água”. Vai ao email uma a duas vezes por dia, de manhã e ao fim da tarde. Até porque tem

Já João Pequito, CEO da PSE, não se deixa enganar: é impossível desligar-se mesmo estando em férias, confessa. “A diferença é que agora poderemos tratar de alguns assuntos, por exemplo, com os pés dentro de água”.

joao pequito

Vai ao email uma a duas vezes por dia, de manhã e ao fim da tarde. Até porque tem acesso a indicadores de negócio durante o seu período de férias. “Tudo agora é mais fácil”.

A forma de agir sobre esses indicadores podem ir de “uma olhadela e, eventualmente, um franzir de sobrolho”, já que “nesta altura existe uma elevada ‘calmaria’ na atividade”.

João Pequito diz que a mobilidade veio facilitar o trabalho em férias, porque este sempre está presente. “Por norma, consigo estar três semanas seguidas fora da empresa. Mais é impossível”.

O portátil fica em “casa”? “Não”, diz João Pequito. “É um dos meus companheiros inseparáveis”.

Como companhia, o gestor aproveita para levar comigo três ou quatro romances e… o “Candy Crush”. “São suficientes para me evadir”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor