Business Intelligence lidera investimento em TI

Big DataBusiness IntelligenceData-StorageEmpresasNegócios

Um estudo da CIONET revela que as aplicações de Business Intelligence continuam a ser alvo dos maiores investimentos de Tecnologias da Informação nos últimos dez anos, incluindo projetos de Big Data e Data Mining. O estudo, chamado “European key IT and  Management Issues & Trends for 2013”, revela também que o cloud computing entrou para

Um estudo da CIONET revela que as aplicações de Business Intelligence continuam a ser alvo dos maiores investimentos de Tecnologias da Informação nos últimos dez anos, incluindo projetos de Big Data e Data Mining.

business-intelligence-marketing-markets-and-it-service-management-requirements1O estudo, chamado “European key IT and  Management Issues & Trends for 2013”, revela também que o cloud computing entrou para a lista do trabalho anual em 2009, em 17º lugar, e a posição que ocupa neste estudo indica que as soluções se tornaram mais maduras.

As empresas europeias estão a introduzir políticas de BYOD e o mercado de desenvolvimento de aplicações móveis está a crescer exponencialmente. Nos Estados Unidos, os sistemas de ERP ocupam o terceiro lugar de investimentos em TI, traduzindo a preocupação em beneficiar de um sistema integrado.

“Se compararmos os ambientes contrastantes da Europa e dos Estados Unidos, é possível verificar que existem elementos regionais que têm a capacidade de minimizar a influência de tendências globais e os investimentos em aplicações e tecnologias relacionadas com a fiabilidade e eficiência de TI. Saliente-se ainda o facto de os gestores de TI terem hoje de lidar com um mundo altamente interligado, pelo que são evidentes as existências de alguns padrões comuns em mercados com diferentes localizações geográficas”, refere um comunicado sobre o trabalho.

Outras das conclusões apontadas pelo estudo são que o aumento da produtividade e a redução de custos, o alinhamento entre os objetivos de negócio e os objetivos de TI e a agilidade de negócio e rapidez de colocação de serviços e produtos no mercado são as principais preocupações dos gestores.

A agilidade regional e o “speed to market” são essenciais. “O estudo indica que este elemento, quando devidamente amparado pela produtividade e pela redução de custos, cria a fundação para as vantagens competitivas a longo prazo, pelo que se antecipa a continuidade da agilidade de negócio e speed to market no top 5 nos próximos anos”, diz o comunicado.

Ainda de acordo com o estudo, a recessão económica levou a que as empresas que operam na Europa se tenham vindo a focar em abordagens de TI de resposta rápida, que consigam facultar um valor imediato.

Devido às atuais condições económicas mundiais, o aumento da produtividade e a redução de custos tem vindo a ganhar relevância. No entanto, os líderes de TI já não respondem a este problema apenas a cortar o orçamento de TI. Já pensam também na adoção das TI como fatores de aumento de produtividade e um elemento de dinamização transversal à empresa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor